Elvis Palma/Divulgação/Notisul
Elvis Palma/Divulgação/Notisul

Laguna 

A arte de pintar em muros, paredes e demais espaços sempre foi marginalizada e, muitas vezes, o grafite é confundido com pichação. Mas, de uns tempos para cá, essa expressão urbana passou a ser mais bem vista por olhos que um dia a condenaram, embora ainda exista o preconceito em torno dos conceitos que a envolvem e a definem.

A cidade de Laguna, por meio do projeto social “Trilhando Cores”, conta até este domingo com a presença de dez artistas, nacionais e internacionais, que utilizam o muro do Centro Histórico como tela.

Conforme o coordenador da Central Única da Favela (Cufa) de Laguna, Vinícius Laufer, os artistas fazem a revitalização e humanização de espaços públicos, dando cor e vida aos muros, e assim aumentam o acervo artístico e cultural do município, por meio da arte do grafite. “Queremos promover ações para que os jovens tornem-se protagonistas na construção da sua própria história, tendo participação igualitária nas oportunidades”, descreve. 

O evento tem apoio do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA). Quem quiser conferir a performance neste fim de semana, os artistas estarão concentrados na avenida Colombo Machado Salles, nas proximidades da Polícia Ambiental, no Centro Histórico.