Brasília (DF)

O diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Paulo Lacerda, vai depor na Comissão Parlamentar de Inquérito das Escutas Telefônicas Clandestinas na próxima quarta-feira, segundo confirmou o relator deputado Nelson Pellegrino (PT-BA).

Abin informou esta semana que Lacerda queria “responder às acusações infundadas” feitas contra o órgão pelo banqueiro Daniel Dantas.
O relator comentou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que atendeu parcialmente o pedido da CPI para ter acesso a dados de interceptações telefônicas das operadoras de telefonia.

Pellgrino disse que a decisão do STF atende metade da expectativa da CPI. “É claro que se tivéssemos acesso aos conteúdos das gravações seria mais preciso. Nesse ponto a decisão é um prejuízo”, reclamou.
O relator considerou o acesso a algumas informações como um avanço “porque vamos poder detectar eventuais distorções e anomalias”.

Já o deputado Gustavo Fruet (PSDB-PR), descontente com a posição do supremo, informou que apresentará um novo pedido à corte para que a justiça compartilhe com a CPI os dados das escutas telefônicas autorizadas e que estão em segredo de Justiça.