#Pracegover foto: na imagem há dois livros com capa azuis, um marcador de texto e um sofá
#Pracegover foto: na imagem há dois livros com capa azuis, um marcador de texto e um sofá

O terceiro livro da série criada pelo escritor e morador de Capivari de Baixo, Diego Nascimento, 27 anos, deverá ser lançado entre outubro e dezembro deste ano. A primeira obra da trilogia Maquibier foi lançada em outubro de 2016 com o título: ‘As cinzas do mago’, dois anos depois ‘A bruxa predestinada’ foi divulgada e depois de quase três anos, Nascimento lança o seu terceiro título intitulado de ‘O retorno do mago’.

De acordo com Diego, o terceiro livro dá sequencia a trilogia, porém é uma obra mais independente das duas iniciais. “A história volta um pouco. O primeiro livro começa em 1748, o segundo em 2011 e esse tem início em 1746. É uma obra de fácil leitura e entendimento e acredito que quem leu os dois primeiros também se encantará com esta publicação”, assegura o escritor.

As obras possuem forte embasamento na mitologia no município de Desterro, hoje Florianópolis, e em Portugal. O segundo livro foi traduzido para o inglês e comercializado em outros países. Além dos livros, o jovem é formado em Farmácia. Atualmente, cursa doutorado na área, leciona e é membro da Academia de Letras do Brasil de Santa Catarina Seccional de Capivari (ALBSC). Para saber mais sobre as obras basta seguir a página do instagram @escritorgeek.

No terceiro livro da série Maquibier, o maior medo de todos os bruxos e bruxas
desta dimensão está para se concretizar: Maquiavel finalmente está retornando, e no
corpo de um mero mortal, um humano, Logan Wright. Os dias de paz estão escassos e
cada um deles precisará encontrar forças de diversas origens para enfrentar as trevas
desconhecidas. Como cada um pode se preparar para enfrentar o inimigo quando não se
pode confiar nem mais nos amigos? Traições, mentiras, segredos e muita magia
esperam o leitor em mais um aguardado capítulo destes bruxos, vampiros, lobisomens e
demônios.

O profissional da saúde afirmou ao Notisul, em 2016, que sempre gostou de escrever, mas foi no fim do ensino médio, em 2011, que ele ganhou um ‘empurrãozinho’ de sua professora de língua portuguesa, Janete Bagio, na Escola de Educação Básica Henrique Fontes, em Tubarão. O jovem estudante foi incentivado a produzir algo que ficasse para a história. “Sempre gostei de escrever. Como produzíamos textos nas aulas de português, a professora Janete me orientou a investir na produção de um livro. Ela disse que eu tinha talento e com essa observação resolvi investir pesado”, lembra.

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul