#Pracegover Foto: na imagem há um escorpião da espécie tityus serrulatus
#Pracegover Foto: na imagem há um escorpião da espécie tityus serrulatus

Uma equipe de agentes de endemias de Capivari de Baixo capturou no domingo (29), à noite, um escorpião da espécie tityus serrulatus, conhecido popularmente como escorpião-amarelo. A equipe foi até uma casa, no bairro Paraíso, após a família proprietária informar às autoridades de saúde, que havia percebido a presença do animal no pátio da casa. Está espécie é encontrada em várias regiões do Brasil e é a principal espécie causadora de acidentes graves, inclusive com registro de óbitos, principalmente em crianças.

O escorpião desta espécie possui as pernas e a cauda amarelo-claro e o tronco escuro. A confirmação de que se tratava de um escorpião-amarelo se deu na segunda-feira (30), de manhã, após o animal ter sido avaliado por uma bióloga da Secretaria Regional de Saúde (SRS).

Na mesma noite em que foi comunicada a presença do escorpião na residência, os agentes de endemias iniciaram a fazer as medidas de prevenção recomendadas neste caso. Foi feita uma vistoria minuciosa no local e limpeza do ambiente. A família também foi orientada a seguir uma série de procedimentos preventivos.

Fique atento

– Verifique calçados, roupas, toalha e roupas de cama antes de usá-los.
– Limpe caixas de gordura e ralos de banheiro e de cozinha.
– Mantenha camas e berços afastados da parede.
– Evite que lençóis toquem no chão.
– Feche frestas nas paredes, móveis e rodapés para que não sirvam de esconderijo para os escorpiões.
– Use telas nas aberturas dos ralos, pias e tanques.

Mantenha o bicho distante

– Não é aconselhável usar veneno para combater os escorpiões, pois o desalojamento pode favorecer o aumento da população.
– Não deixe acumular lixo e entulho nos quintais, jardins e terrenos baldios.
– Cuidado com restos de obras e terraplanagem que possam causar acúmulo de entulho.
– Coloque o lixo em sacos plásticos fechados para evitar baratas e outros insetos, que são fontes de alimento para os escorpiões.
A Secretaria de Saúde já está mobilizada para massificar estas informações através das agentes comunitárias de saúde, nos próximos dias.

O que fazer se encontrar um escorpião?

Em caso de notar a presença de escorpiões na residência, a primeira coisa a ser feita é proteger as pessoas. Depois, chamar a vigilância de endemias, pelo (48) 3623-4837 e procurar não perder de vista a localização do animal, até a chegada da equipe. Não é recomendável que a pessoa tente capturar o animal, a não ser que alguém tenha sido picado. Se for capturar, use equipamentos de proteção seguros. Um erro no procedimento poderá trazer sérias consequências.

O que fazer e não fazer em caso de picada?

O escorpião-amarelo é considerado a espécie mais venenosa das Américas e o efeito de sua picada é rápido. De acordo com especialistas na área, em caso de picada é importante agir rápido. O atendimento deve ser feito em um tempo máximo de três horas.

Ainda segundo especialistas, em crianças de até nove anos, por serem menores, o veneno se espalha de maneira mais rápida. Apesar de dolorida, a picada não deixa marcas, por isso às vezes não há como saber onde exatamente ocorreu. Não é indicado o uso de qualquer medicamento ou procedimento paliativo (enfaixar, amarrar, imobilizar, colocar gelo ou qualquer substância sobre a picada), não dar antiveneno sem a orientação médica especializada.

Na região, Secretaria Regional de Saúde possui o soro antiescorpiônico em seu estoque e o encaminha de acordo com necessidade da unidade hospitalar.
Além do telefone da vigilância de endemias, em caso de acidente a pessoa também pode procurar ligar para o Centro de Informação e Assistência Toxicológica de Santa Catarina (CIATox/SC), serviço de referência no Estado na área de Toxicologia, no 0800-643 5252.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul