Wagner da Silva
Grão-Pará

A Escola Técnica Agrícola na comunidade de Invernada, em Grão-Pará, deve começar a funcionar já no próximo ano, com 40 vagas em um primeiro momento e aumento da oferta conforme a procura. O protocolo de intenções foi assinado entre a Fundação Educacional Barriga Verde (Febave) e a prefeitura do município.

Para iniciar os trabalhos, ainda falta a aprovação da secretaria do estado da Educação. Como as escolas agrícolas mais próximas ficam em Santa Rosa do Sul (cerca de uma hora e meia de viagem) e Balneário Camboriú (quase três horas de carro), o objetivo da fundação é diminuir o êxodo rural e tornar o ‘colono’ um empresário rural.

“As escolas deste setor que unem o ensino médio e o técnico estão longe do jovem de nossa região. Ele deixa sua comunidade, afasta-se de sua identidade, sua cultura e dificilmente retorna para o campo”, revela o professor Luiz Coelho, um dos responsáveis pela elaboração do projeto. “Não queremos formar empregados, e sim empresários da área rural que possam contribuir com o desenvolvimento, quem sabe se tornando professor da escola dentro da sua comunidade”, defende.

Para o reitor da universidade, professor Celso de Oliveira Souza, a escola permitirá o envolvimento da comunidade no seu futuro. “Estamos em uma região rica e precisamos aproveitar isso. Queremos contribuir com o progresso e, para isso, a participação da comunidade é muito importante”, ressalta.