O sistema trata-se de produção agroalimentar que integra a aquicultura com a hidroponia  - Foto:Divulgação/Notisul
O sistema trata-se de produção agroalimentar que integra a aquicultura com a hidroponia - Foto:Divulgação/Notisul

Laguna

Que peixe com salada é uma refeição saudável todos sabem. Mas já pensou em integrar o cultivo de plantas com o de peixes? A aquaponia trata exatamente disso e a escola E.E.B Gregório Manoel de Bem, da comunidade Ribeirão Pequeno, em Laguna, desenvolveu o projeto, em menor escala, e foi a vencedora da região sul do prêmio Epagri Escola Ecologia 2015. A entrega da premiação será no próximo dia 2, em Florianópolis. 

A escola atende cerca de 249 alunos das comunidades do Bananal, Morro Grande, Figueira, Parobé, Ribeirão Pequeno, Ribeirão Grande e Madre. Em parceria com a Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), foi implementado um pequeno sistema aquapônico que possibilita a produção de alimentos saudáveis com educação ambiental.

Trata-se de produção agroalimentar que integra a aquicultura (cultivo de organismos aquáticos) com a hidroponia (cultivo de plantas terrestres sem a utilização do solo, onde as raízes estão imersas em uma solução nutritiva balanceada). 

Neste sistema existe uma relação estabelecida entre organismos aquáticos cultivados (geralmente peixes), microrganismos aquáticos (bactérias) e plantas, onde os nutrientes residuais do cultivo dos peixes são transformados pelas bactérias em produtos absorvíveis pelas plantas, que em conjunto com a luz e uma correta oxigenação das raízes, favorecem o desenvolvimento dos vegetais. Como resultados, produtos saudáveis com ciclos de produção muitas vezes mais rápidos que os cultivos convencionais.

Como surgiu?
O método surgiu cerca de 1000 a.C. no centro do México, praticada pelos Astecas. Eles utilizavam lagos como meio de cultivo para produzir plantas terrestres. O povo Asteca construiu jangadas com material flutuante, como cana e junco, cobriram com terra dragada do fundo do lago e plantaram suas hortaliças. As plantas cresciam nessas ilhas flutuantes à medida que suas raízes se expandiam e alcançavam a água.