A Escola Municipal Santo André, no bairro homônimo, em Capivari de Baixo, que atende cerca de 230 estudantes no ensino fundamental completo (até o 9º ano), está entre as unidades educacionais da Amurel com o maior número de alunos estrangeiros (proporcionalmente), a maioria de famílias imigrantes refugiados. São 23 no total, incluindo aí um japonês do 2º ano, que não é imigrante, pois o pai é nipônico e a mãe brasileira.

Há poucos dias, o adolescente venezuelano Isaac David Amparo Ortega, de 13 anos, foi reclassificado pela equipe pedagógica da Santo André, mediante ato orientado e aprovado em portaria do governo do Estado, e, após uma prova de conhecimentos gerais aplicada, passou do 6º para o 8º ano.  Ele demonstrou maior aptidão de série, por isso houve esta reclassificação. “Isaac chegou a estudar no 6º ano em uma escola estadual de Tubarão e aqui também, mas, ao observar que estava à frente da sua classe, realizamos o rito, que o recolocou dois anos à frente”, explica a diretora da Escola Municipal Santo André, Cláudia da Rosa Nascimento Lopes.

Um grupo de venezuelanos é o maior matriculado na unidade, que também atende haitianos, peruanos e o japonês. “É uma riqueza de culturas, línguas e diversidades que já fazem parte do nosso dia a dia. A Santo André é a unidade de ensino da rede municipal que tem o maior número de estudantes estrangeiros”, informa a diretora, que brinca. “Quando recebemos a certidão de nascimento do nosso aluno japonês, ficamos admirados, pois não dava pra entender nada e comentamos que era até chique. Mas é importante que todos esses alunos tenham seus documentos daqui do Brasil e, só a partir daí, podemos realizar a matrícula. Todos têm o direito de estudar”, garante.

A escola

A unidade de ensino Santo André começou a operar antes mesmo do município, que tem 29 anos e era um distrito de Tubarão. Hoje, 41 funcionários, sendo 29 professores, atendem, com, segundo a diretora, ampla dedicação, 232 alunos, oferecendo o ensino fundamental completo.

Acolhimento

A maior parte dos refugiados imigrantes na região é de venezuelanos e haitianos. No bairro Santo André, há uma casa cedida a essas famílias estrangeiras por meio de um projeto da Cáritas, onde esses imigrantes ganham assistência social e encaminhamento ao mercado de trabalho e às escolas.

Cáritas

É um “organismo” da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e tem sua atuação no campo da ação social da Igreja. É uma entidade de promoção e atuação social que trabalha na defesa dos direitos humanos, da segurança alimentar e do desenvolvimento sustentável solidário.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: Governo de Capivari de Baixo