O ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse nesta segunda-feira (20), em entrevista à Rádio Gaúcha, que cerca de seis mil participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 foram afetados por erro na correção da prova.

De acordo com Weintraub, o impacto é “baixo” e as notas serão corrigidas diretamente na plataforma até o fim desta segunda.

“A gente já tem o número de pessoas e vai ser corrigido hoje à noite”, disse Weintraub. “Estamos falando de 0,1% das pessoas, isso dá cerca de cinco ou seis mil candidatos, problemas que que vão ser corrigidos. O impacto é baixo e não vai ter nenhum efeito para a maioria das pessoas.”

Segundo o chefe da Educação, o erro seria da impressora da gráfica Valid, responsável pela diagramação, manuseio, embalagem, rotulagem e entrega aos Correios dos cadernos de provas. Weintraub disse que a máquina de impressão “dava umas engasgadas”, o que ocasionou no descolamento da prova com o gabarito.

“Aparentemente não foi uma coisa de má fé, foi um acidente, coisa que acontece. Não depende da minha avaliação. A gente vai ver legalmente o que acontece”, disse o ministro.

Sisu mantido

Durante a entrevista, Weintraub descartou a possibilidade de adiar o prazo de abertura para participantes da edição anterior do Enem se inscreverem no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Pelo cronograma, as inscrições começam nesta terça-feira (21/01/2020) e terminam na próxima sexta-feira (24/01/2020). O resultado está previsto para sair no dia 28 de janeiro.