No fim da tarde da próxima sexta-feira, dia 31, o restauro do Mercado Público será entregue. Com solenidade prevista para ás 18h, com a expectativa do pôr do sol na lagoa Santo Antônio dos Anjos. 

A banda União dos Artistas e o intérprete da escola carioca São Clemente, Leozinho Nunes, farão apresentações. 

A obra custou R$ 5.667.898,74, com recursos do BNDES, através da lei Rouanet e do Governo Municipal. A edificação está inserida na poligonal de tombamento do Centro Histórico de Laguna.

O projeto de requalificação do mercado Público foi contratado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no ano de 2007. O Instituto captou recurso junto ao BNDES. O Banco realizou um convênio com a Fundação Lagunense de Cultura, que executou a obra por meio de licitação.

A requalificação do Mercado Público Municipal, iniciada em 2014, segundo o Iphan, teve como objetivo promover e valorizar dois aspectos de grande importância socioeconômica e cultural da cidade de Laguna: a pesca e o comércio tradicional.

De acordo com o prefeito Mauro Candemil ” Laguna será agraciada com o resgate da sua história”, disse o chefe do poder executivo em relação ao principal canal de ligação com a Lagoa de Santo Antônio dos Anjos, que será o Mercado Público Municipal, também com a gastronômica até o ponto de encontro e convivência da comunidade lagunense.

A presidente da Fundação Lagunense de Cultura, Mirella Honoratto valoriza a identificação do povo lagunense com o mercado. “A requalificação do Mercado Público é importante porque representa espaço de sociabilidade. O nosso mercado faz parte da história da cidade. A comunidade estava desacretitada. Receber de volta o espaço, está relacionado com a auto-estima da população. propriação deste bem, por isso ele tornou tão importante para todos nós”, disse.

O que foi executado ?

Requalificação total do Mercado Público;

Substituição do piso cerâmico existente por pavimentação em cimento alisado;

Restauração de toda a estrutura do telhado;

Manutenção nos condutores de água, rufos e calhas metálicas;

Substituição total das telhas;

Restauração das aberturas externas e internas;

Recuperação das argamassas;

Recuperação das escadas com substituição do guarda corpo;

Instalação de elevador;

Construção de deque de madeira;

Construção de área coberta com fechamento de vidro sobre o deque de madeira;

Novas instalações hidros sanitária, elétrica, lógica;

Recuperação dos boxes para venda com instalação de porta automática;

Recuperação do ladrilho hidráulico na área externa.

 

A execução de um deck de madeira na fachada voltada à lagoa Santo Antônio, estendendo o piso do térreo e, consequentemente, ressignificando na percepção do Mercado, da Lagoa e do próprio Centro Histórico para os frequentadores.

Para o Iphan, com esta ação, foi criado um novo ponto de contemplação, além de trazer um diferencial para o uso do espaço.

Histórico do prédio

Em janeiro de 1897, o Mercado Público Municipal foi inaugurado proporcionando aos comerciantes que trabalhavam próximos ao cais um espaço fechado e coberto para realizar seus negócios. Quarente e dois depois, no dia 20 de agosto de 1939, o prédio sofreu um incêndio, restando apenas as paredes externas.

O atual Mercado Público foi construído próximo ao anterior, em duas etapas, a primeira em 1958 e a segunda parte em 1968.

O novo edifício com linguagem arquitetônica art dêco foi considerado moderno para época, uma edificação grande e bem arejada. O térreo foi utilizado como sede do Mercado Público, e o pavimento superior recebeu a sede da Municipalidade

Visitação

O edital de concessão dos boxes será lançado em fevereiro. Nesta fase, o público poderá conhecer o restaurado Mercado Público e sua história.

A presidente da Fundação Lagunense de Cultura, Mirella Honoratto, explica que o espaço histórico estará aberto a visitação de terça a sábado, a partir do dia 1º de fevereiro.

Nos sábados terá feira de artesanato regional com apresentações culturais. 

Cronologia 

2007 – O Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) decretou a cidade de Laguna como cidade-pólo, sendo escolhida por sua importância cultural e histórica. Com prioridade na aplicação de recursos do BNDES em investimentos de recuperação. Os recursos foram disponibilizados por meio da Lei Rouanet, contabilizando R$ 3 a 6 milhões. A lei autorizava a empresa, no caso banco, de deduzir no imposto de renda valores repassados para o incentivo cultural.

2008 – O Governo Municipal e o superintendente estadual do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Ulysses Munarin, entregaram para a gerente de incentivo à cultura do banco, Isis Pagy, os projetos do Programa de Desenvolvimento Turístico, aprovados pelo Conselho Nacional de Cultura: Mercado Público, projetos de natureza museológico do Memorial Tordesilhas e Museu Histórico Anita Garibaldi.

2010 – O prédio do Memorial Tordesilhas foi revitalizado com recursos do BNDES. A estrutura foi construída em 1904 e localizada próxima ao marco de Tordesilhas, sendo uma antiga usina de energia de Laguna é uma edificação típica da arquitetura de uso industrial do início do século XX. Com janelas amplas que colaboravam para a ventilação da usina, o prédio apresenta elementos formais característicos do romantismo, como os torreões com mão-francesas que sustentam os beirais ao redor do telhado. Próxima fase seria o projeto museográfico.

2014 – Foi assinada a ordem de serviço pelo ex-prefeito Everaldo dos Santos em 14 de abril, com prazo contratual de 36 meses, para a restauração do Mercado Público

2014 – O Governo municipal inicia o processo de contratação de empresa para a elaboração do projeto museológico e museográfico do Memorial Tordesilhas e Museu Histórico. Com recursos de R$ 498 mil destinados para a implantação da museologia e serviços de pesquisa e produção do acervo. Os recursos são do BNDES. A expectativa era de abrir as portas do museu no início do ano de 2015.

2015 – Ocorre mandado de busca e apreensão devido a irregularidades na comprovação financeira dos projetos museográfico e museológico do Memorial Tordesilhas e Museu Histórico, as obras do Mercado Público são paralisadas, pois os projetos estão atrelados.

2017 – Governo Municipal contrata uma museóloga Mirella Honorato para readequar os projetos relativos aos Memorial Tordesilhas e Museu Histórico.

Outubro de 2017 – Entram em fase conclusiva, o dossiê com as respostas aos questionamentos feitos pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES à Prefeitura de Laguna, quanto às obras de restauração do Mercado Público e os projetos de natureza museológica.

 

Setembro de 2018 – O prefeito Mauro Candemil, acompanhado da secretária de Planejamento, Silvânia Cappua e o presidente da Fundação Lagunense de Cultura, Márcio José Rodrigues Filho, participou de uma reunião com o presidente do BNDES, Dyogo Oliveira e o diretor Marcos Ferrari e sua equipe técnica a fim de tratar da liberação dos recursos para a obra de restauro do Mercado Público.

Novembro de 2018 – A assessoria jurídica do BNDES informou sobre a proposta repassada pelo Governo Municipal foi aprovada, com a condição de que a retomada dos desembolsos do Banco somente ocorra após a devolução dos recursos. Dentre as condições exigidas está a devolução corrigida de aproximadamente R$ 800.000,00, fruto de pagamentos considerados indevidos pelo BNDES devido a falta comprovatória da execução financeira do contrato, apuradas em processo de inquérito administrativo.

Dezembro de 2018 – BNDES emite boleto de R$ 738.150,35 para pagamento à vista.

Janeiro de 2019 – reinício da revitalização