Laguna

No ano passado foram 14 casos de abuso sexual contra crianças e adolescentes em Laguna. Nesta quarta-feira, escolas e entidades irão promover uma caminhada pelo centro histórico para conscientização.
 
No último dia 18 de maio foi lembrado o Dia Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual. A maioria das ocorrências, tanto com crianças quanto com adolescentes, ocorreu dentro de casa e os agressores são pessoas do convívio das vítimas conforme a coordenadora do Centro de Referência Especializada de Assistência Social (Creas), Juliana Oliveira.
 
Os denunciantes são mães, vizinhos, comunidade escolar e parentes que percebem algo errado. Hoje, escolas e entidades irão promover uma caminhada pelo centro histórico, com saída às 10h, em frente à Escola de Ensino Médio Almirante Lamego percorrendo a rua Raulino Horn, retornando pela Gustavo Richard, passando pela 13 de Maio e chegando no ponto de partida.
 
De acordo com a secretária de Assistência Social, Tanara Cidade de Souza, o evento será importante para conscientizar a sociedade em denunciar os casos de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes.O abuso sexual se caracteriza quando tem a interação ou contato sexual entre a criança ou adolescente e o adulto, este possui uma condição de autoridade ou poder e se utiliza disso para conseguir sua estimulação sexual.
 

Atos considerados abuso sexual:
 

Fotografar ou filmar crianças e adolescentes nus, em posturas eróticas;
Ficar observando os genitais de menores para conseguir se excitar, mesmo que seja de forma escondida;
Falar sobre relações sexuais com crianças com a finalidade de se excitar ou de deixá-los excitados;
Tocar ou acariciar os órgãos genitais com meninos e meninas;
Obrigar menores a ver adultos nuns, revistas pornográficas ou adultos se masturbando;
Acariciar órgãos genitais;
Sexo oral.
 

Algumas atitudes a serem adotadas para prevenir os casos de violência sexual infanto-juvenil:
 
– cuide de seu filho: dê a ele toda a atenção que puder;
 
– saiba sempre onde eles estão, com quem estão e o que estão fazendo;
 
– ensine-os a não aceitar convites, dinheiro, comida e favores de estranhos, especialmente em troca de carinho;- sempre os acompanhe em consultas médicas;
 
– converse com seus filhos: crie um ambiente familiar tranquilo;
 
– conheça seus amigos, principalmente os mais velhos;
 
– supervisione o uso da internet (Facebook, Twitter, chats, etc.); e oriente seus filhos a não responderem e-mails de desconhecidos, muito menos enviarem fotos ou fornecerem dados (nome, idade, telefone, endereço, etc.), ou, ainda, informarem suas senhas da internet a outras pessoas, por mais amigas que sejam.