As mulheres continuam sendo o público mais afetado pela pandemia da Covid-19 e são as que levarão mais tempo para restaurar as condições socioeconômicas anteriores a março de 2020. De acordo com relatório da ONU Mulheres, elas perderam 54 milhões de empregos e, ao final de 2021, enquanto os empregos dos homens já estarão recuperados, 13 milhões delas ainda estarão desalocadas. Soma-se a este problema o aumento da violência doméstica, a sobrecarga do trabalho não remunerado, a diminuição de acompanhamento gestacional e ginecológico, entre outros fatores que deterioram a qualidade de vida.

Com o objetivo de reduzir o impacto deste cenário ainda mais desigual, e apoiar mulheres na superação de parte desses desafios, a ENGIE Brasil Energia, celebrou os resultados da primeira edição e lançou o seu segundo edital do Projeto Mulheres do Nosso Bairro, que oferece apoio financeiro a empreendimentos locais liderados por mulheres. Em Santa Catarina, a empresa tem sua sede na capital, Florianópolis, opera da Unidade de Cogeração Lages, em Lages, e a Central Eólica Tubarão e Usina Fotovoltaica Cidade Azul, em Tubarão.

Criado e implantado em 2020 como uma das iniciativas da companhia para enfrentamento dos males causados pela pandemia, o programa consiste em iniciativas para fomentar o empreendedorismo e a geração de renda, além de oferecer cursos gratuitos de capacitação, informações sobre redes de apoio, ações de sensibilização e conscientização para combater a violência doméstica, e suporte à saúde.

Em sua primeira edição, a ENGIE recebeu mais de 300 inscrições e selecionou 28 empreendimentos de 23 municípios em 10 estados, que receberam aportes de R$ 5 mil, R$ 10 mil e R$ 20 mil reais. Em menos de um ano, os negócios apoiados mais que duplicaram suas receitas (incremento médio de 139%) com 96% das empreendedoras se sentindo mais confiantes e preparadas para a condução de seus estabelecimentos. Outro ponto de destaque é que em 40% dos casos o empreendimento já se tornou a principal fonte de renda familiar. Além desse resultado positivo, foi possível observar uma melhora na qualidade de vida das participantes: o índice de felicidade dessas mulheres com os seus negócios alcançou 91,2%.

Em sua nova edição, ainda mais fortalecida por meio da parceria da ENGIE com o Consulado da Mulher, ação social da Cônsul, serão selecionados 25 empreendimentos locais de pequeno porte para aceleração, com fomento de R$ 10 mil cada.

Além disso, também serão selecionadas três Organizações da Sociedade Civil (OSC) para atuarem como multiplicadoras do projeto. Cada uma das OSCs receberá formação por parte do Consulado da Mulher e um aporte de R$ 40 mil para investir na capacitação de 25 empreendedoras individuais, alcançando um total de 75 beneficiadas que receberão um fomento direto de R$ 2 mil, desde que concluam a capacitação proposta. Adicionalmente, as empreendedoras individuais de maior destaque receberão equipamentos da linha branca Consul.

Com a inclusão das multiplicadoras, a ENGIE pretende ampliar o alcance para além das regiões próximas de suas usinas e da sede, em Florianópolis. “Estamos cada vez mais comprometidos em agir pela igualdade de gênero e, neste último ano, fez-se ainda mais necessário promover ações efetivas para que mulheres e meninas tenham mais oportunidades para realizar todo o seu potencial. Criamos o Mulheres do Nosso Bairro para atender este público prioritário, especialmente nas comunidades onde atuamos e, nesta segunda etapa, temos a oportunidade de expandir essa atuação com parceiros que compartilham do mesmo propósito”, conta Luciana Nabarrete, Diretora Administrativa da ENGIE Brasil Energia.

Com investimento em torno de R$ 1,2 milhão, o projeto contribui diretamente para o Objetivo 5 dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODSs), da ONU, que consiste em alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas. O Mulheres do Nosso Bairro representa um reforço à adesão da ENGIE aos Princípios de Empoderamento das Mulheres” (WEPs, sigla em inglês de Women’s Empowerment Principles), uma iniciativa da ONU Mulheres.

As inscrições para a nova etapa do programa Mulheres do Nosso Bairro poderão ser realizadas entre os dias 19 de outubro e 05 de novembro, pelo www.mulheresdonossobairro.com.br, onde as proponentes serão direcionadas para inscrição de seus projetos na Plataforma do PROSAS, em edital especialmente criado para essa ocasião especial. A organização conjunta deste 2º edital entre a ENGIE e o Consulado da Mulher, ação social da Cônsul (uma das marcas Whirlpool), foi possível em razão da iniciativa Parcerias do Bem, estabelecida pela ENGIE com engajamento dos seus clientes.

Sobre a ENGIE

A ENGIE é referência mundial em energia e serviços de baixo carbono. Com nossos 170 mil colaboradores, clientes, parceiros e stakeholders, estamos comprometidos em acelerar a transição para um mundo neutro em carbono, através do consumo reduzido de energia e soluções mais sustentáveis. Inspirados em nosso propósito, nós conciliamos performance com um impacto positivo sobre as pessoas e o planeta nos apoiando nas nossas atividades chave (gás, energia renovável e serviços) para oferecer soluções competitivas aos nossos clientes.

No Brasil, a ENGIE é a maior empresa privada de energia do País, atuando em geração, comercialização e transmissão de energia elétrica, transporte de gás e soluções energéticas. Com capacidade instalada própria de 10.791MW em 72 usinas, o que representa cerca de 6% da capacidade nacional, a empresa possui quase 90% de sua capacidade instalada proveniente de fontes renováveis e com baixas emissões de GEE, como usinas hidrelétricas, eólicas, solares e biomassa.
A ENGIE é também a detentora da mais extensa malha de transporte de gás natural do país, com 4.500 km, que atravessam 10 estados e 191 municípios, graças à aquisição da TAG, concluída em 2020.

Além disso, a ENGIE está entre as maiores empresas em geração fotovoltaica distribuída e possui um portfólio completo em soluções integradas responsáveis por reduzir custos e melhorar infraestruturas para empresas e cidades, como eficiência energética, iluminação pública, monitoramento e gestão de energia. Contando com 3 mil colaboradores, a ENGIE teve no país em 2020 uma receita líquida de R$ 13,3 bilhões.

A ENGIE está presente na B3 por meio de sua empresa de geração e comercialização de energia cujo ticker é o EGIE3. Na B3, a ENGIE integra o Novo Mercado, além de ser uma das únicas companhias listadas no Índice de Sustentabilidade Empresarial desde o início do ISE, em 2005. Em 2021, a B3 incluiu os papeis da ENGIE no Índice Carbono Eficiente (ICO2), composto pelas ações das empresas participantes do IBrX 100 que possuem maior transparência em relação ao reporte das emissões dos gases do efeito estufa e de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.

Já o Grupo teve em 2020 uma receita de 55,8 bilhões de Euro e é negociado nas bolsas de Paris e Bruxelas (ENGI), sendo representado nos principais índices financeiros (CAC 40, DJ Euro Stoxx 50, Euronext 100, FTSE Eurotop 100, MSCI Europe) e índices não-financeiros (DJSI World, DJSI Europe e Euronext Vigeo Eiris – World 120, Eurozone 120, Europe 120, France 20, CAC 40 Governance).

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: Engie