Zahyra Mattar
Orleans

O ‘apagão’ ocorrido em parte de São Ludgero e todo o município de Grão-Pará, nos últimos dias 5 e 6, respectivamente, não deve mais ocorrer. Isto não significa que a população está livre do compromisso de economizar energia. Pelo contrário. Mas tudo será mais seguro e os problemas de falta de luz devem ficar minimizados com a inauguração da nova linha de transmissão da Celesc, entre Orleans e Braço do Norte.

A inauguração é prevista para a primeira quinzena do próximo mês. Antes disso, neste domingo, será feito o primeiro teste da rede. Somente isto já deverá amenizar os problemas de abastecimento das cooperativas de eletrificação da região. O sistema do Vale, que abastece também Orleans e alguns municípios serranos – casos de Anitápolis e São Bonifácio – está sobrecarregado desde o fim do mês passado.
Com o calor excessivo, não houve outra alternativa senão cortar o abastecimento parcial de São Ludgero em um dia, e total de Grão-Pará em outro. A obra na subestação já deveria estar pronta. Porém, donos dos terrenos desapropriados contestaram o valor pago na justiça.

Com isso, a obra foi embargada e retomada somente depois que a Celesc depositou o dinheiro em juízo. A nova linha tem 138 mil volts e custou R$ 9 milhões. O investimento é esperado há anos. Na maioria das cidades, o crescimento já minguava por conta da falta de energia. É o caso de São Ludgero, uma das mais prejudicadas. O município já não condições de receber uma única indústria porque não há energia suficiente. “Além de diminuir a carga das cooperativas, a nova rede é uma importante maneira de combater o apagão”, avalia o assistente da presidência da estatal para novos negócios, Ademir da Silva Matos.