Em uma empresa foram apreendidos 13,390 mil quilos de pescados, que serão transformados em ração
Em uma empresa foram apreendidos 13,390 mil quilos de pescados, que serão transformados em ração

 

Mirna Graciela
Imaruí
 
Quase 13,390 mil quilos de pescados foram apreendidos em uma empresa clandestina de beneficiamento, que funcionava no centro de Imaruí. O estabelecimento foi interditado devido a várias irregularidades. 
 
A denúncia partiu do Ministério Público, que acionou a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc). A operação, montada em conjunto com a Polícia Militar e a Vigilância Sanitária de Imaruí, teve início terça-feira de manhã e encerrou na tarde de ontem, por volta das 15 horas. Ao todo, foram apreendidos 9,6 mil quilos de tainha. O restante foi de camarão, marisco e lula. 
 
Entre as infrações constatadas, a empresa não estava regularizada pela Cidasc, não possuía alvará sanitário e notas referentes aos produtos, e o pescado era manipulado sem a permissão do órgão, prática proibida. Segundo o chefe da divisão de Vigilância Sanitária da região de Laguna, Sebastião Ferreira Nunes, a ação estendeu-se também a açougues e peixarias. Ocorreram apreensões em sete estabelecimentos, que não estavam dentro dos padrões sanitários, conforme exigências da Cidasc, e terão que se regularizar para voltar a funcionar.
 
Todo o pescado apreendido será reaproveitado para a produção de ração bovina. A operação, solicitada pelo Ministério Público de Santa Catarina, foi realizada simultaneamente em oito municípios do estado.