O empresário Luciano Hang, dono da rede Havan e nome de destaque nas eleições de 2018 ao se tornar um dos principais apoiadores do então candidato Jair Bolsonaro, pretende manter o ativismo nas próximas eleições e já traçou um objetivo: lutar contra o retorno da esquerda a posições de destaque na política brasileira. “Todo cuidado é pouco”, diz.

Em entrevista ao R7, Hang afirma que ideias retrógradas prejudicaram o país nos últimos 30 anos e que o momento é de liberalismo econômico. Ele celebra o recente crescimento apresentado pelo varejo, apoia a liberação do FGTS ao trabalhador e diz ainda que a Semana do Brasil, realizada de 6 a 15 de setembro, será uma alternativa nacional à Black Friday.

Natural de Brusque (SC), Hang comanda da cidade catarinense a empresa que conta hoje com 131 lojas, 16 mil funcionários e que ajudou a colocar o empresário na lista de bilionários da revista Forbes.

Foi em janeiro de 2018, com a empresa já presente em diversas regiões do país, que Hang expandiu sua atuação para o campo político. A defesa da candidatura de Bolsonaro rendeu aplausos e apoio por um lado, e críticas de outro. Gerou ainda polêmicas como a do suposto impulsionamento irregular de material de campanha, o que ele nega, e uma multa do Tribunal Superior Eleitoral.

Nas eleições de 2020, o empresário não vislumbra uma participação tão ativa apoiando candidatos, mas sim defendendo a confirmação dos resultados obtidos em 2018, com a vitória de candidatos de direita.

Confira a entrevista completa em R7.

Foto: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO