Em todo o mundo, há empresários que faturam de formas um tanto quanto peculiares. E o Japão parece ser um dos principais celeiros de ideias bizarras – aqui, você confere uma lista de negócios “diferentões” do país asiático.

Uma empresa que também poderia ser adicionada à relação é a criação do empresário Hiroki Terai.

Ele é o fundador da Ikemeso Danshi (em tradução aproximada “meninos bonitos chorosos”), um serviço que oferece “sessões de choro” para seus clientes.

No Japão, vale dizer, as pessoas têm dificuldades de expressar seus sentimentos. “Chorar faz com que as pessoas ‘coloquem para fora’ o que lhes faz mal, diminuindo o estresse”, diz Terai em um minidocumentário produzido pela “The Atlantic”. Veja-o abaixo.

O serviço funciona assim: algumas clientes da Ikemeso Danshi são colocadas em uma sala. A experiência começa com um filme emotivo, que estimula os presentes a se emocionar.

Quando o choro começa, um homem considerado bonito para os padrões nipônicos entra em cena, enxugando as lágrimas das clientes.

Na sequência, o homem também canta e toca músicas tradicionais, marcadas pela tristeza. A “sofrência”, pelo menos no documentário, surte efeito, já que as clientes choram ainda mais.

A Ikemeso Danshi atende sobretudo mulheres que estão passando por processos de divórcio. Segundo ele, há planos para criar um serviço semelhante focado em homens. “Também penso em levar a empresa para outros países”, afirma.