#Pracegover Na foto, empresário aparece com os funcionários e uma criança, todos usando máscara
Foto: Reprodução Redes Sociais

O empresário de Tubarão Alessandro Gonçalves publicou um vídeo em suas redes sociais fazendo um desabafo após ter sua lanchonete interditada por 15 dias. A interdição aconteceu na noite desta sexta-feira, após a Vigilância Sanitária receber a denúncia de que o local atendia clientes após às 22 horas, o que não é permitido neste momento de pandemia.

O vídeo ganhou grande repercussão na cidade após o empresário se mostrar bastante preocupado com o que pode acontecer nos próximos dias.

“Interditados por 15 dias!!! Sendo que já estamos sendo afetados pelos decretos que 80% deles são dirigidos apenas para o público noturno. Durante o dia a vida segue normal! Tenho 12 colaboradores, que dependem 100% do meu estabelecimento, de onde vou conseguir mantê-los? Fornecedores, energia, aluguel… Vale lembrar que entendo e respeito o trabalho de cada setor tanto da polícia quanto vigilância. Mas estou tentado sobreviver. Quem vai honrar com minhas obrigações agora?? Sendo que meu sustento é 100% da minha lanchonete. Fica aqui um desabafo de alguém que está tentando manter 12 famílias, de forma honesta”, escreveu o empresário.

 

Conforme o decreto, bares, restaurantes e lanchonetes podem receber clientes até às 21 horas e fechar às 22 horas, e de acordo com o secretário de Segurança, Trânsito e Patrimônio Evandro Almeida, que coordena a força-tarefa de fiscalização, às 22h42 o estabelecimento estava com as portas abertas atendendo normalmente.

“A vigilância sanitária junto com a Polícia Militar esteve no local e interditou”, disse Evandro.

Alessandro alega que essa informação não é verdadeira, o estabelecimento não estava mais recebendo clientes após às 22 horas. “Estávamos aguardando os clientes das mesas finalizarem seus consumos e lanches”.

O empresário disse que a força-tarefa já esteve em seu estabelecimento em outros momentos, orientou fazer alguns ajustes e ele sempre acatou. “Não é justo que fechem sem dar uma advertência”, desabafou.

Evandro Almeida reforça a fala de Alessandro de que a fiscalização esteve no local em outros momentos. “O estabelecimento recebeu a fiscalização outras duas vezes e foi orientado sobre o decreto, teve duas orientações prévias”.

O empresário disse que procurou um advogado para entrar com uma liminar e tentar reverter a situação ou ver a possibilidade de trabalhar com entregas. “No momento não posso arcar com os custos e não sei o que fazer. Se fechar esses 15 dias não tenho previsão de voltar”, esclareceu.

De acordo com Evandro, o estabelecimento foi interditado por completo e nos próximos 15 dias ninguém pode ter acesso ao local. O secretário também informou que outros dois estabelecimentos foram interditados nesta sexta-feira.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul