Os representantes da empresa Cattalini Terminais Marítimos estiveram reunidos, na tarde desta terça-feira (29), com o prefeito de Imbituba, Rosenvaldo da Silva Júnior, o presidente da Câmara de Vereadores, Roberto Rodrigues, e alguns secretários municipais.

O grupo, que fica sediado na cidade de Paranaguá (PR), tem a intenção de instalar na região da Praia do Porto, em Imbituba, tanques de granéis líquidos para o abastecimento de combustíveis e óleo vegetal. A reunião ocorreu na sede da prefeitura.

Durante o encontro, o prefeito manteve a posição contrária à instalação dos tanques. Inclusive, alegou aos diretores da empresa que há uma lei municipal que impossibilita a implantação dos depósitos de granéis líquidos inflamáveis na cidade (Lei Complementar nº 4752/2016). 

Enquanto isso, no entorno da prefeitura, um grupo, formando por aproximadamente 100 pessoas contrárias à instalação da empresa na cidade, fez uma manifestação pacífica, com direito à música e palavras de ordem. Ao longo de quase duas horas, os representantes da empresa apresentaram o projeto, falaram do investimento financeiro e responderam aos questionamentos dos jornalistas. 

Ao fim do encontro, Carlos Henrique Kszan, diretor de Novos Negócios da empresa Cattalini Terminais Marítimos, informou que, diante do posicionamento dos representantes do município e dos moradores, o projeto de instalação dos tanques estaria suspenso. “Não haverá a instalação da empresa a qualquer custo. Hoje existe uma lei municipal que proíbe a implantação. Por isso, o projeto está suspenso”, garantiu Carlos Henrique Kszan.

Logo que a reunião foi encerrada, o prefeito Rosenvaldo da Silva Júnior fez questão de se reunir com os moradores que se manifestavam em frente à prefeitura. Ao grupo, chefe do executivo municipal reiterou o posicionamento contrário à instalação dos tanques de combustíveis na cidade.