Foram mais de 800 pessoas atendidas nos últimos três dias no setor. Muitos são pacientes de baixa complexidade, segundo o médico José Nixon  -  Fotos:Divulgação/Notisul
Foram mais de 800 pessoas atendidas nos últimos três dias no setor. Muitos são pacientes de baixa complexidade, segundo o médico José Nixon - Fotos:Divulgação/Notisul

Rafael Andrade
Tubarão

Das 30 unidades básicas de saúde de Tubarão, todas estão em pleno funcionamento, inclusive algumas ainda sem energia elétrica devido à tempestade que destruiu boa parte da cidade no último domingo. A Policlínica, na rua Rui Barbosa, no Centro, atende em horário especial estendido – até as 22 horas. E é para lá ou qualquer outro posto da rede municipal que a coordenadoria do setor de Emergência do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), o maior do Sul do Estado, pede que os pacientes de baixa complexidade dirijam-se. O apelo, emitido ontem pelo médico coordenador do setor, José Nixon Batista, surgiu após a constatação de uma sobrecarga no sistema.

Além de a necessidade de convocar profissionais da saúde de folga, e contar com apoio de colegas da prefeitura, todos os leitos da Emergência estão ocupados, inclusive com macas pelos corredores. Não há vagas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e a demora nos exames é um transtorno certamente enfrentado. “O grande problema da questão é que estamos atendendo muitos pacientes considerados clinicamente de baixa complexidade, que podem procurar uma unidade de saúde perto do seu bairro. Devido à tempestade, a Fundação de Saúde do município – que também sofreu avarias – resolveu abrir três postos até as 22 horas: o Caic, a Policlínica e o Humaitá. Foi justamente para não ocorrer uma sobrecarga no HNSC, mas não houve muita procura”, lamenta o médico. A diretora-presidente da Fundação, Maryucha Miranda de Oliveira, informa que, devido à baixa demanda da população, somente a Policlínica continua com o horário estendido.

Foram 346 atendimentos no setor das 17 horas do último domingo até as 16 horas desta segunda-feira, 222 somente de pacientes que apresentavam ferimentos – alguns graves – devido à tempestade. Da 0 hora desta terça às 16 horas do mesmo, foram 396 pacientes do procuraram a Emergência. “Nossa média é de 200 por dia. Passamos muito do limite”, alerta Nixon.