Entre os dias 24 e 29 de janeiro, a Defesa Civil de Minas Gerais confirmou 53 mortes em decorrência das chuvas no estado.

O último caso registrado  foi a morte de um homem no desabamento de parte de uma casa em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. E o número ainda pode aumentar, já que bombeiros fazem buscas por uma mulher que está desaparecida depois que um alagamento abriu a pista da MG-133, em Tabuleiro, na Zona da Mata, em um novo temporal na noite desta terça-feira. A vítima estava em um carro que foi arrastado pela correnteza. 

Na noite de ontem, Belo Horizonte viveu horas de caos. A tempestade alagou ruas, arrastou carros e motos, invadiu lojas e restaurantes e provocou a queda de parte do teto do BH Shopping, gerando prejuízos. Em apenas três horas choveu 175,6 milímetros na Região Centro-Sul, a mais atingida pela tempestade. Segundo a Defesa Civil, a precipitação nessa região entre 19h e 22h10 corresponde a 53,5% da média histórica de 329 milímetros esperado para os 31 primeiros dias do ano.