Tatiana Dornelles
Tubarão

O amor que uma mãe sente por um filho é algo inexplicável, que não é possível medir nem comparar. Há mães que geraram os filhos, há as que são adotivas, que são avós, madrastas ou mesmo pais. Há ainda aquelas mulheres que, em nome dos filhos, abdicam da vida profissional para poder proporcionar todo o carinho, amor e dedicação.
Histórias de mães guerreiras, que passam a vida se dividindo entre casa, trabalho, marido e filhos, há pelos quatro cantos do país. De mães que abandonam a carreira também. E todas merecem todo o carinho dos filhos.

A cantora Lisa Bonô, de Tubarão, tem uma história de vida e de amor ao filho que merece ser contada. Com voz belíssima, ela participou de programas em vários estados brasileiros, como no Bolinha, e fez diversos shows. Entretanto, uma interferência do destino fez com que Lisa tivesse que tomar uma decisão, cuja escolha ela diz não se arrepender. “Quando descobri que estava grávida, estava com dois meses de gestação. Parei de fazer shows por um tempo. Depois que meu filho nasceu, quando estava com cinco meses, os médicos disseram que ele tinha paralisia cerebral. A partir disso, parei de cantar para me dedicar a ele”, conta Lisa.

Elyton Bonot Mendes está hoje com oito anos, vai para Apae todas manhãs e recebe toda a atenção da mãe. “Ele é um anjo em minha vida. Não me arrependo da escolha que fiz e não tenho vergonha de dizer que sou uma mãe especial. Parei no momento exato e dou atenção exclusiva ao meu filho”, relata.

Lisa, que já ganhou até disco de ouro no Show da Viola e no programa César Souza, em 1990, por ter vendido mais de 120 mil cópias do LP Caiaque, hoje toca violão e solta a voz para Elyton. “Ele ama me ouvir tocar e cantar. Elyton é uma criança linda, esperta e, apesar de não andar nem falar, entende tudo”.