Uma menina brasileira, de 9 anos, chorou quando chamou uma amiguinha para brincar de castelo e princesa e ouviu “não existe princesa preta”, de uma mulher que estava ao lado, no parquinho. A criança amargou essa frase durante 5 dias e só depois conseguiu desabafar numa cartinha, que deixou na cama da mãe.

Ana Luísa escreveu uma carta para a mãe dela cinco dias depois de ouvir de uma mulher que “não existe princesa preta”. A menina brincava com outra criança no Parque Ipiranga, em Anápolis, a 55 km de Goiânia, quando ouviu essa meia verdade. Na cartinha, Ana Luísa afirma que ama a Elsa, personagem do filme Frozen.

No texto ela perguntou : “Mamãe, é verdade que não existe princesa preta? Eu fui brincar, a mulher falou. Fiquei triste e com medo de contar para você. Ela falou que não tinha princesa preta. Eu chorei, mamãe”, escreve a menina.

O caso aconteceu do dia 1º, durante um piquenique que a família resolveu fazer no parque e a menina só conseguiu contar para a mãe 5 dias depois, na cartinha que deixou em cima da cama dela. Ana Luisa disse que chamou outra garota para brincar de castelo e princesa, quando uma mulher loira, sentada num banco próximo à recreação, teria dito para ela que “não existe princesa preta”.

A menina também contou à mãe que um homem, que também estava no local, disse à mulher para não se dirigir às crianças dessa forma. Logo em seguida, ela saiu do banco e sentou em outro lugar da praça. “Notei que ela estava triste desde aquele dia, mas não quis me contar. Quando eu li a carta, chorei muito. Ela é criança e não entende ainda”, disse a mãe, a humorista Luciana Cristina Cardoso, de 42 anos.

Racismo

Luciana contou que a filha não quer mais voltar ao parque, onde tudo aconteceu e revelou que vai registrar um boletim de ocorrência pelo ato de racismo praticado contra a filha. A mulher em questão ainda não foi identificada.