#Pracegover Foto: na imagem há quatro homens. Todos com máscara
#Pracegover Foto: na imagem há quatro homens. Todos com máscara

Nesta semana, o Instituto Cultural Anita Garibaldi (CulturAnita) esteve na capital catarinense Florianópolis discutindo a continuidade dos projetos relacionados ao bicentenário da Heroína dos Dois Mundos, comemorados no próximo ano.

A comitiva formada por Adílcio Cadorin (diretor do instituto), Mauri Heerdt (reitor da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul) e Samir Ahmad (prefeito eleito de Laguna), visitou a Fundação Catarinense de Cultura (FCC) e a Assembleia Legislativa (Alesc).

No parlamento, o CulturAnita solicitou ao deputado estadual Julio Garcia, presidente da Casa, apoio do Legislativo para garantir meios para que a Unisul possa promover a reprodução in vitro das mudas da Rosa de Anita. O híbrido criado por Giulio Pantoli (1922-2018) foi escolhido para ser o símbolo do bicentenário e já foi plantado em algumas cidades como Laguna, Florianópolis, Imbituba e Tubarão.

Já na FCC, o instituto discutiu com a presidente Ana Lúcia Coutinho os projetos que poderão ser realizados em Laguna no próximo ano e que entrarão no calendário de eventos dos 200 anos, como a Tomada de Laguna. O projeto do bicentenário de Anita é uma ação que une quatro países: Brasil, Itália, San Marino e Uruguai.

Sobre a Rosa de Anita

O híbrido-símbolo das comemorações foi criado pelo botânico italiano Giulio Pantoli (morto em 2018), que se inspirou na figura de Anita Garibaldi para desenvolver a rosa.

Na Itália, os direitos de reprodução da rosa estão com o Museu Renzi, que franqueou autorização para que o CulturAnita pudesse clonar e distribuir o híbrido no Brasil e na América do Sul.

Os brotos foram trazidos no final de 2018 para o Brasil e adaptadas à realidade climática do país pelo botânico Leonardo Borges, de Laguna. Em agosto, foram iniciados os plantios das primeiras rosas geradas em Imbituba, Laguna e Tubarão.

Sobre o projeto do bicentenário

O projeto prevê a realização de eventos em todas as cidades catarinense, gaúchas, uruguaias, italianas e de San Marino, que têm relação com a trajetória de Anita Garibaldi, a Heroína dos Dois Mundos. Até 2021, a ideia é que sejam realizados eventos comemorando a memória da personagem histórica nascida em 1821.

A iniciativa decorre de um convênio internacional celebrado entre o Museu Renzi, de Borghi (Itália), que é representado por Andrea Antonioli e Gianpaulo Grilli e o Instituto Cultural Anita Garibaldi (CulturAnita) de Laguna (Brasil), representado por Leo Felipe Nunes e Adilcio Cadorin.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul