Zahyra Mattar
Tubarão

As fichas estão na mesa. Agora, depende de um último esforço do município e da análise dos técnicos do Ministério das Cidades. O vice-prefeito de Tubarão, Pepê Collaço, apresentou ontem os projetos que pretende ingressar na segunda edição do

Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2).
Pepê surpreendeu ao apresentar um documento dividido em quatro obras, todas com a mesma finalidade: assegurar a vida dos tubaronenses nos períodos de chuva (vejo o quadro). Juntas, somam o exato valor de 42.984.646,33.

“A primeira impressão é de um parecer positivo. Podemos não conseguir todo o dinheiro, mas, se alcançarmos o necessário para as primeiras duas etapas, conseguiremos solucionar cerca de 90% dos problemas de alagamento da cidade”, valoriza Pepê.

Este positivismo tem uma explicação. Nesta análise superficial dos técnicos, poucos documentos considerados faltantes foram pedidos. “São plantas e outras descrições bastante técnicas. Nada complexo. Desta vez, fomos muito bem preparados”, antecipa Pepê. A prefeitura tem até a próxima quarta-feira para entregar estes documentos extras. Mas Pepê pretende fazer isso até segunda.

Os projetos apresentados

Etapa 1
Obra: Macrodrenagem da margem direita do Rio Tubarão.
Valor: R$ 13.711387,87.
A exemplo do que será feito na margem esquerda no próximo ano, a obra prevê a implantação de novas redes de drenagem e construção de galerias no bairro Oficinas e adjacências.

Etapa 2
Obra: Macrodrenagem e pavimentação do bairro Humaitá de Cima.
Valor: R$ 6.608.189,94.
Versa sobre a complementação das obras de macrodrenagem da margem esquerda.

Etapa 3
Obra: Recuperação das margens do Rio Tubarão e pavimentação das avenidas beira-rio.
Valor: R$ 5.440.913,76.
A obra será feita em uma extensão de dois quilômetros nas duas margens do rio. Com isso, todo o perímetro urbano será contemplado.

Etapa 4
Obra: Redragagem do Rio Tubarão.
Valor: R$ 17.224.154,76.
O município pleiteou verba para dragar nove quilômetros do rio, a partir da foz, em Laguna. Para realizar o serviço em toda a extensão urbano (27 quilômetros), será necessário captanear mais verba.