O presidente do Sindicato dos Eletricitários do Norte de Santa Catarina (Sindinorte), Paulo Guilherme Horn, protocolou, nesta quinta-feira (20), na Assembleia Legislativa, denúncia contra o presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins, por conflito de interesses. De acordo com o documento entregue aos deputados, Martins assumiu o cargo no início do atual governo sem se desvincular da Engie, empresa concorrente da Celesc no setor de energia.

No documento – que também será protocolado no Tribunal de Contas do Estado e no Centro de Apoio Operacional da Moralidade Administrativa do Ministério Público estadual – o sindicato pede o afastamento de Martins do cargo. “Não temos a informação se ele cessou o contrato dele com a concorrente da Celesc, mas o fato é que ele passou um ano omitindo essa informação. Só isso já caracteriza que ele não cumpre a lei das estatais porque ele não tem a postura ilibada que se espera de um administrador de empresa”, disse Horn.

Para Horn, este conflito “coloca em xeque” todos os atos administrativos do presidente da Celesc. “A gente identifica que todo este projeto que está sendo colocado que visa à privatização da Celesc tem relação com este vínculo trabalhista com uma empresa que é concorrente, forte no setor de energia e que é uma empresa privada que atua aqui em Santa Catarina.”

Além da denúncia contra Martins, Horn ocupou a tribuna da Assembleia durante a sessão ordinária desta quinta-feira para defender a manutenção da Celesc como empresa pública. Segundo o sindicalista, o fato de ter sido eleita pelos consumidores como a melhor distribuidora de energia elétrica da região Sul e também do Brasil atesta a qualidade do serviço prestado pela Celesc. A empresa foi a primeira entre 64 que atuam na faixa acima de 400 mil consumidores.

“Num cenário onde o setor é majoritariamente privatizado, uma empresa pública ser eleita pelos próprios consumidores como a melhor distribuidora do país comprova que uma empresa pública é eficiente, tem responsabilidade com a sociedade e pode, sim, atender muito bem a população”, avaliou.