Desde pequenos aprendemos que existem brinquedos de meninos e meninas e que as crianças, muitas vezes, são proibidas pelos pais a não brincarem com os brinquedos uns dos outros. Um dos exemplos é menino querer brincar de boneca ou a menina, de carrinho.

 Dessa maneira, poucas meninas são vistas jogando bola com meninos ou meninos se juntando com meninas para brincar de casinha, por exemplo. Porém, apesar dessa grande limitação existente na sociedade, os pais do pequeno Guilherme Rabelo Goberte, de três anos, pensam completamente diferente.

 Ao contrário do irmão mais velho, Ravi Rabelo, de sete anos, que pediu um ‘João Bobo’, Guilherme pediu uma cozinha de brinquedo de presente de Natal aos pais.

“O porquê a gente não sabe. Um dia ele viu na loja e se interessou, daí falei que ele podia pedir para o Papai Noel, mas desse dia em diante ele nunca mais parou de falar da tal da pia. Tentamos oferecer outras coisas e dar outras opções, mas não teve negociação. Era isso mesmo que ele queria”, disse Dienifer Rabelo Goberte, mãe do menino.

Dienifer comenta que o filho sempre se interessou por máquinas, tratores, e outros brinquedos que remetem ao trabalho do pai que é agricultor e, por este motivo, acharam estranho o pedido de Guilherme, no começo.

“Resistimos em dar o tal presente, mas como ele não queria outra coisa, tivemos que aceitar o gosto dele. Ele ficou tão feliz com o presente que não estranharia se ele pedisse outras coisas relacionadas à cozinha”, conta a mãe. 

Ao ser questionada sobre a opção do filho sobre um brinquedo considerado ‘feminino’, a mãe respondeu: “Acho interessante que eles gostem, até porque os ensinam a me ajudar nas tarefas da casa e eles têm que aprender a se virar sozinhos”.