Brasília (DF)

Terceira colocada nas eleições para presidente da república, Marina Silva (PV) é cortejada por PSDB e PT. O tucano José Serra afirmou ontem que existem elementos para a proximidade e sua campanha com o Partido Verde.

Serra elogiou Marina. “Ela contribuiu para diversificar as opções. O PV sempre me apoiou na prefeitura e no governo de São Paulo”, justificou o candidato do PSDB, ao lembrar que o secretário do meio ambiente durante a sua gestão, Eduardo Jorge, é filiado ao PV.

Serra garantiu que, se for eleito, a área ambiental não será tratada como “um apêndice”, mas terá prioridade. Para ele, o desempenho de Marina nas urnas ajudou a levar a disputa para o segundo turno. “Ela conquistou uma fatia muito grande da nossa juventude”, argumentou.

Sobre a possibilidade de substituir o indicado a vice-presidente na sua chapa, Indio da Costa (DEM), por Aécio, o tucano disse que não há possibilidade legal para isso. Ele acredita que Aécio Neves será uma das pessoas-chave na sua campanha, junto com o governador reeleito de Minas Gerais, Antônio Anastasia (PSDB).

“Liguei para Marina e a parabenizei”

A candidata do PT à presidência da república, Dilma Rousseff, afirmou ontem que ligou para Marina Silva (PV) depois das eleições. “Dou muito valor ao apoio da Marina. Isso não significa, necessariamente, que ela tenha que me apoiar”, relata a pestista.

Dilma analisou o segundo turno como um fato decorrente da boa atuação de Marina nas urnas, que terminou a eleição em terceiro lugar, com quase 20% dos votos válidos. “Liguei para Marina e a parabenizei por isso. A candidata Marina fez uma campanha qualificada e uma parte dos votos ela capturou e tirou do meu adversário também”, afirmou.

A candidata do PT disse que pretende fazer um “debate qualificado” e de “propostas” nessa nova fase da campanha. “Pretendo nessas quatro semanas, que vão daqui até 31 de outubro, fazer um debate qualificado apresentando propostas e desenvolvendo propostas na área da saúde, educação”, afirmou.