Amanda Menger
Tubarão

Com a ausência do deputado estadual Genésio Goulart à reunião da executiva do PMDB, nesta sexta-feira, à noite, em Tubarão, continua em aberto à posição de pré-candidato a deputado estadual pela sigla na região. Era esperado que Genésio definisse se será ou não candidato em 2010. Há rumores dentro do PMDB de que o deputado não está bem de saúde e que, por isso, não disputaria a reeleição à assembleia legislativa.

E foi exatamente sobre estes rumores que girou a reunião da executiva com quatro dos três vereadores do PMDB em Tubarão e com o deputado federal Edinho Bez. “Genésio justificou a ausência. Ele faz alguns exames médicos e não pôde comparecer à reunião. Nós conversamos sobre essas especulações a respeito do estado de saúde do deputado. Há muitos boatos e nada de oficial. Enquanto a família dele não se pronunciar, nós manteremos o silêncio também”, afirma o presidente do diretório municipal, Túlio Zumblick.

Uma decisão sobre a pré-candidatura a deputado só será de fato tomada em fevereiro. “Nós iremos fazer uma espécie de convenção em fevereiro e lá definiremos quem será o candidato da região. Até lá, muitas coisas podem ocorrer”, diz Túlio.
Os rumores ganharam ainda mais força nos últimos dias, porque ninguém sabe ao certo qual a doença de Genésio. “Esse é um assunto delicado. Queremos conversar com ele e com a família. Acima de tudo, vamos respeitar a decisão de Genésio sobre o futuro político dele”, adianta Edinho.

O vereador Maurício da Silva (PMDB) diz que pode ser candidato, desde que seja consenso no partido. “Estou preparado desde 2002, sou vereador em quinto mandato e já ocupei outros cargos públicos, mas não quero atropelar o processo. Essa é uma discussão interna e temos que respeitar a decisão de Genésio”, diz Maurício. Depois da reunião da executiva, os peemedebistas discutiram sobre a reforma política.