Tubarão

Já na abertura das primeiras quatro urnas, das 20 utilizadas na eleição para a escolha do presidente da Cooperativa de Eletrificação Rural Anita Garibaldi (Cergal), de Tubarão, o deputado estadual Genésio Goulart (PMDB) confirmava o favoritismo e a popularidade. A apuração chegou ao fim aproximadamente às 19h30min e Genésio confirmou a vitória. Esmagadora, diga-se de passagem.

Dos 13 mil associados, 5.240 compareceram à eleição, disputada por duas chapas. Destes, 4.346 reelegeram Genésio Goulart e Gelson Bento, os atuais gestores, para mais quatro anos à frente da cooperativa (Genésio preside a entidade há 12 anos consecutivos). Outros 894 votaram na dupla João Fernandes (PSDB) e Maurício da Silva, da chapa 2. A diferença entre um grupo e outro foi de avassaladores 3.452 votos.

Recheada de ‘pimenta do reino’, a eleição da Cergal é sempre uma recorrente polêmica. Muito animado, Genésio garantiu aos “eleitores” que pretende incrementar ainda mais a cooperativa. Trazer novos investimentos. “Vamos continuar o lindo trabalho que fazemos nestes quase 13 anos”, enalteceu o deputado, seguido pela vibração do povo.

Apesar da troca de farpas entre ele e os cabeças da chapa 2, Genésio garantiu que não guarda mágoas. “Tentaram denegrir minha imagem e a da cooperativa. A resposta veio hoje, nas urnas. O próprio associado tratou de filtrar o que era verdade e o que era mentira. Temos mais de quatro mil respostas que confirmam nossa dignidade e honestidade”, proferiu.

A festa de comemoração adentrou a madrugada na sede festiva da associação, também no bairro Madre. Não poderia ser diferente, Genésio e Gelson venceram um time de peso, encabeçado por João Fernandes e Maurício da Silva. A chapa 2 tinha o apoio absoluto do ex-prefeito José Carlos Stüpp (PSDB), o vereador Geraldo Pereira, o Jarrão (PMDB), além de outros nomes do PMDB, PSDB e outros partidos.

O outro lado
O candidato da chapa 2 na eleição da Cergal, o vereador e presidente do legislativo, João Fernandes (PSDB), disse ontem ao Notisul, por telefone, que irá realizar hoje uma coletiva onde comentará o resultado do pleito, ocorrido ontem. “Eleição de cooperativa é uma caixa de surpresa e infinitamente mais difícil e complicada que uma eleição para a câmara.

Além disso, saímos em grande desvantagem: tudo foi feito como eles (a chapa 1) queriam. Tanto que existiu apenas um local de votação, na Madre, reduto do atual presidente”, disse. Fernandes não informou onde e em que horário iria fazer seus comentários.