Carolina Carradore
Tubarão

Quando a empresa Risotolândia encampou a terceirização da merenda escolar em Santa Catarina, tudo ainda era novidade para os alunos. O desperdício foi inevitável. Agora, quatro meses depois, o novo cardápio é um sucesso entre os estudantes, ainda que não seja uma regra. Em algumas escolas, é preciso criatividade para incentivar o consumo.

Uma tática adotada, por exemplo, é o envio de bilhetes aos pais para que eles expliquem às crianças e adolescentes a importância de manter uma alimentação saudável e balanceada. Conforme dados da gerência regional de educação (Gered) em Tubarão, a empresa fornece 130 mil refeições por mês a 18 mil alunos nos sete municípios abrangidos pelo órgão.

Na região, somente o Cedup, a Escola Jovem, o Ceja – as três de Tubarão – e a escola Antônio Knabben, em Gravatal, não recebem a merenda do governo do estado. O motivo, segundo a supervisora de apoio ao estudante, Ieda Felipe dos Santos, é a falta de repasse de verba do Ministério da Educação (MEC) para escolas técnicas e de ensino médio.

Cantinas ainda são as vilãs da boa alimentação
Para a nutricionista Luana Simon, da Risotolândia, o consumo da merenda escolar melhorou consideravelmente nas escolas da região de Tubarão, mas ainda não é o ideal. A existência de cantinas dentro de algumas instituições impede que a criança alimente-se adequadamente.

“Os pais dão dinheiro e alguns aproveitam para comprar balas, doces, frituras e deixam de comer a merenda. Mas é uma pequena parcela que ainda faz isso, pois trabalhamos para que isso não ocorra mais”, antecipa Luana.

Um dos projetos pensados pela Risotolândia é o desenvolvimento de palestras nas escolas. O objetivo é explicar a importância de uma alimentação equilibrada.

“Servimos comida a base de leite e derivados e carboidratos, como pães e batatas. Enfim, procuramos organizar um cardápio rico em tudo que uma criança ou adolescente em desenvolvimento precisa para ter, também, um maior rendimento escolar”, valoriza a nutricionista.

Do jeitinho que eles gostam
Suco natural, iogurte de morango, frutas e frango assado. Essas são apenas algumas das opções servidas à garotada nas escolas públicas de Tubarão e região. Mas o sucesso da nova merenda fica por conta do cachorro-quente. “A fila é enorme e tudo que é feito é consumido”, comemora a merendeira Juliana Bernardo, que atua no colégio Hercílio Luz, de Tubarão.

Até quem não tinha o hábito de lanchar no recreio mudou de ideia. “Gosto mais do cachorro-quente, do aipim e do franguinho assado”, enumera Maria Adélia Sampaio Matias, 12 anos. Já a irmã, Nathaly, de 10 anos, prefere o feijão e as frutas.

“Quando tem banana, minha vontade é repetir várias vezes”, confessa a aluna da 5ª série. Bruno Volpato da Silva, 11 anos, não perde um prato e gosta do creme de milho. “Até peço para a minha mãe fazer em casa o que a gente come aqui no colégio”, afirma.