Zahyra Mattar
Tubarão

A construção do novo prédio da escola estadual Célia Coelho Cruz, no bairro São João margem esquerda, em Tubarão, foi marcada por vários protestos e manifestações. O antigo prédio da unidade foi demolido em 2007, após ter sido interditado pela vigilância Sanitária. As paredes estavam com rachaduras e a estrutura totalmente comprometida.

Desde então, as aulas são ministradas em uma escola improvisada, no Clube Cerâmica. A área, ainda que grande, foi dividida por tapumes, para a divisão das salas de aula, porém, as condições de aprendizado das crianças estão longe de ser as adequadas. Além disso, nos dias de verão, a ventilação é precária. Esta saga dura três anos. Em abril deste ano, as obras no antigo terreno iniciaram. A expectativa agora é para a conclusão.

O dia-a-dia dos trabalhadores da Serfort, empresa responsável pela obra, é acompanhado de perto pela comunidade e pelo gerente de infra-estrutura da secretaria de desenvolvimento regional em Tubarão, Léo Goularte. Segundo ele, o cronograma é seguido à risca e está dentro do estabelecido.

O novo prédio da escola custará cerca de R$ 1.138.446. A área, de 2.087,67 metros quadrados, contará com pavimentação adequada, guarita, bicicletário, castelo d’água, drenagem pluvial, jardinagem, dez salas de aula, biblioteca, sala para os professores e para a direção, além de laboratórios de física, química, biologia e informática.

Escola Fábio Silva
Além da construção do novo prédio da escola estadual Célia Coelho Cruz, a secretaria de desenvolvimento em Tubarão trata de agilizar a reforma da escola Fábio Silva. Na unidade, são reformadas sete salas de aula, além de uma área de 602 metros quadrados.

Segundo o gerente regional de infra-estrutura, a obra “já está em uma fase bastante adiantada, assim como a construção do novo prédio, onde o baldrame já foi executado e o aterramento já está sendo executado. O piso e o levante da alvenaria terão seu início ainda essa semana”, explica Léo.

Na escola Fábio Silva, o investimento do governo do estado chegará a aproximadamente R$ 748.492,00. A responsável pela obra é a construtora Camilo e Ghisi.