Tatiana Dornelles
Tubarão

Está na hora de tirar os casacos, as blusas de lã e os cobertores do ‘fundo do baú’ e esquentar-se para a chegada do inverno, que, apesar de iniciar somente em 21 de junho, já começou a dar ‘ares’ pelo sul do país. O clima, que mudou repentinamente domingo, deixou casas destelhadas em algumas cidades (devido aos fortes ventos) e pegou a população de surpresa.

E para quem gosta de calor, a notícia pode não ser nada agradável: a máxima hoje é de 16° C e a mínima pode chegar a 6° C. Tudo porque uma massa de ar seco e frio atua no estado e deixará o tempo estável, com presença de sol e temperaturas baixas em todas as regiões.

Com o friozinho ‘batendo à porta’, muitas pessoas correm para as lojas para comprar as novas coleções outono/inverno, seja de casacos, calças ou sapatos. A expectativa da Câmara de Dirigentes Lojistas de Tubarão é que as vendas cresçam entre 5% a 6% em comparação ao ano passado. “As expectativas são as melhores e os lojistas já arrumaram as vitrines com as coleções de inverno para atrair os consumidores”, afirma o presidente da CDL de Tubarão, Walmor Jung Junior.

Segundo ele, somente no Dia D, sábado passado, era comum ver as pessoas nas lojas em buscas de roupas quentes. Além disso, a estimativa de crescimento nas vendas com a chegada da estação mais fria do ano pode ser ainda maior.

“Os índices são retirados através das consultas realizadas através do Sistema de Proteção ao Crédito (SPC). Por isso, compras à vista ou no cartão de crédito, por exemplo, não entram no sistema, por não serem consultadas. Assim, com certeza o índice é um pouco mais elevado”, diz.

No que se refere às promoções, o presidente da CDL diz que não vê como uma “ferramenta de vendas”. “O lojista deve procurar um preço justo para não precisar liquidar depois. Liquidação, para mim, ocorre quando há ponta de estoque”, ressalta.

Amanhã e quinta
A massa de ar frio perde força e afasta-se ao oceano, o que ocasionará o ingresso de umidade e favorecerá a ocorrência de chuva. Temperatura baixa na madrugada de amanhã, mas, devido à alta umidade, dificulta a ocorrência de geada.