Andréa Raupp Alves
Tubarão *

O taxista José Carlos Duarte (foto), de Braço do Norte, confessa que nunca se preocupou em se proteger do sol. “Se tivesse me cuidado, hoje não estaria na fila de espera do SUS para conseguir dar continuidade ao meu tratamento contra o câncer de pele”, revela. Assim como ele, muitos brasileiros não tomam os devidos cuidados. A estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca) é de que o câncer de pele entre os catarinenses, em 2010, será de 98,16 novos casos para cada 100 mil.

Diante dessa realidade, ocorre neste sábado, em dez cidades do estado, a 11ª Campanha Nacional de Combate ao Câncer de Pele. As atividades são coordenadas pela Sociedade Brasileira de Dermatologia. Em Tubarão, a ação será feita no Ambulatório de Especialidades da Unisul, no bairro Oficinas, das 8 às 16 horas.
O objetivo é fazer atendimentos e diagnósticos precoces em pacientes da Amurel. “Nos últimos anos, percebemos que aumentou o número de pacientes com câncer de pele, mas, ao mesmo tempo, conseguimos diagnosticar precocemente a doença”, destaca o coordenador estadual da campanha, o dermatologista Daniel Nunes.

Os casos mais comuns ocorrem em pessoas que se expõem com mais incidência ao sol, como, por exemplo, em agricultores, pescadores, motoristas. Este é justamente o caso do taxista Duarte. Além da pele clara, ele passou a infância na lavoura. Adulto, tornou-se caminhoneiro e em todo este período nunca usou filtro solar. “Este é um hábito que mudei. Hoje uso o filtro fator 50 a cada duas horas”, ensina.

* Especial para o Notisul.