No quilômetro 345, os trabalhos estão em fase de adequação das pistas antigas aos novos padrões da duplicação da BR-101, em Tubarão.
No quilômetro 345, os trabalhos estão em fase de adequação das pistas antigas aos novos padrões da duplicação da BR-101, em Tubarão.

Zahyra Mattar
Laguna

Após duas semanas de paralisação, os trabalhos de duplicação no lote de obras 25 da BR-101 serão retomados. O consórcio Blokos/Emparsanco/Araguaia pagou cerca de 20% da dívida com as empresas terceirizadas Amilton Lemos Engenharia de Obras, de Tubarão, e Cooperativa de Caminhões de Capivari de Baixo (Coopertranscap).

Os grevistas queriam 50%, algo em torno de R$ 1 milhão, ainda que a dívida toda ultrapasse R$ 3 milhões, se levados em conta os juros e demais atualizações. A confissão de dívida e o novo contrato serão rubricados apenas hoje.

Isto era para ter sido feito na sexta-feira, mas os documentos sofreram pequenas alterações textuais. “Voltaremos às atividades porque eles depositaram o que prometeram. Mas estamos atentos e podemos voltar a parar se no próximo dia 10 eles não cobrirem o cheque da primeira parcela”, antecipa o empresário Amilton Lemos.

Além do depósito de 20% da dívida, o acordo, selado sob o testemunho de gestores do Departamento Nacional de Infraestrutura em transportes (Dnit), é ainda o repasse de três parcelas referentes a mais 10% do que as duas empresas têm a receber. “Cada cheque vence no dia 10 e, se não tiver fundos, vamos voltar a cruzar os braços”, repete Amilton.

Apesar da situação ter sido contornada, as empresas retomam as obras com apenas 30% dos homens e máquinas. “Se eles pagassem direito, poderíamos terminar tudo até abril do próximo ano. Deste jeito, vai levar pelo menos mais um ano e meio para duplicar o trecho. Isso se eles não falharem nenhum pagamento daqui para frente”, lamenta o presidente da Coopertranscap, Nereu Américo.

Serviço
Mais informações de segurança na rodovia podem ser obtidas junto ao setor de atendimento ao usuário, por meio do telefone 0800-6030-101 ou no site www.101sul.com.br. A ligação é gratuita.

Tubarão terá contorno para veículos na BR-101

Em breve, terminam as obras de construção do contorno de pistas para efetuar manobras de retorno de sentido, no quilômetro 345, em Tubarão. Os trabalhos estão em fase de adequação das pistas antigas aos novos padrões da duplicação, em um trecho de 2,5 quilômetros, entre a divisa de Tubarão com Jaguaruna.

No contorno, as duas primeiras camadas asfálticas já foram aplicadas. Restam ainda finalizações nas sarjetas de drenagem, sinalização de eixo e bordo e aplicação da última camada de asfalto. Com mais esta obra, os motoristas poderão contar com duas passagens inferiores, uma no bairro São Cristóvão e outra no acesso sul à cidade (imediações do Ceconvest), como alternativa para retorno de sentido de pistas.

Atenção nestes trechos

Apesar de sinalizados, os usuários do trecho sul da BR-101, onde ocorrem as obras de duplicação, precisam ter atenção especial nos trechos onde há desvios. Os locais mais perigosos ficam no lote 29, entre Araranguá e Sombrio, nas proximidades das obras de execução do viaduto duplo de acesso a Tubarão, e no trecho entre os quilômetros 329 e 319, entre Capivari de Baixo e Laguna. Nos desvios, feitos em pistas de fluxo local, a velocidade máxima permitida é de 40 quilômetros por hora. Nas pistas da rodovia, inclusive nos trechos duplicados, a velocidade máxima é de 80 quilômetros por hora.

Passagem inferior do São Cristóvão

Os usuários da BR-101 sul devem redobrar a atenção ao trafegar pelo quilômetro 342, onde é executada a construção da passagem inferior do bairro São Cristóvão, em Tubarão. O equipamento, de 14,80 metros de extensão, absorverá o tráfego de veículos destinado a empresas e postos de combustíveis existentes às margens da rodovia.

Os trabalhos seguem com a retirada da camada de solo mole nas pistas de retorno de veículos e de tráfego local. Com isso, há movimentação intensa de caminhões e equipamentos pesados no trecho. O trânsito flui por um desvio em mão-dupla, em um declive do terreno, em uma área com fluxo intenso de pedestres e veículos de carga.