Tubarão

O conjunto de blocos de EPS (isopor) já ocupa grande parte da cabeceira sul do viaduto duplo de acesso ao centro de Tubarão (o da avenida Patrício Lima). A empresa Triunfo, responsável pelas obras de duplicação do lote 26 da BR-101, segue com a segunda parte da instalação dos blocos na base do aterro.

O material foi uma opção para compensar a baixa resistência do solo no local por onde passarão as futuras pistas de acesso. Antes da utilização dos blocos, a alternativa estudada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) era acrescentar mais três vãos ao viaduto, mas isso elevaria o valor da obra e aumentaria ainda mais o prazo de conclusão.

Após a instalação, os blocos formarão uma malha com quatro metros de altura. Por cima, será colocada uma camada de cinzas, outra de aterro, as bases e, por último, as três camadas de asfalto. Ao todo, o talude terá aproximadamente sete metros de altura.

O que é EPS?
Os blocos em poliestireno expandido (EPS), também conhecidos como blocos de isopor, são usados nas mais diversas aplicações na construção civil, como recortes especiais, painéis de isolação térmica de parede e enchimentos de pisos, por exemplo. Não é conhecido o limite de vida útil do EPS, um produto sintético proveniente do petróleo. Ainda que, quimicamente, o EPS seja composto por apenas dois elementos (o carbono e o hidrogênio), o produto não gera riscos ambientais e a camada de ozônio.