Brasília (DF)

O juiz José Airton de Aguiar Portela, da 12ª Vara Federal do Distrito Federal, acatou o pedido da Polícia Federal de prorrogar o inquérito do suposto dossiê sobre gastos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso por mais 60 dias. A assessoria da Justiça Federal não deu mais detalhes da determinação judicial, pois as investigações correm em segredo de justiça.

A PF apura se houve algum funcionário da Casa Civil envolvido no vazamento de informações do Sistema de Fundos de Suprimentos (Suprim). Para as investigações, os agentes da PF apreenderam computadores da pasta que teriam sido utilizados para armazenar os dados.

Quarta-feira, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, voltou a negar a existência de um dossiê sobre gastos do governo Fernando Henrique e afirmou novamente que foi feito um banco de dados. A ministra foi prestar esclarecimentos sobre o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) na Comissão de Infra-Estrutura do Senado, mas os parlamentares puderam fazer perguntas sobre o caso do vazamento de dados.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou ontem que a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, foi motivo de orgulho para o governo pelas suas afirmações no depoimento à Comissão de Infra-Estrutura do Senado, na tarde de quarta-feira.