Dona do hit “Cobaia”, música mais ouvida ano passado no Youtube e cantora sensação do Brasil na atualidade, Lauana Prado vai ferver o Carnazimba 2020. Principal nome do sertanejo universitário, a artista que recentemente esteve no Domingão do Faustão e vem fazendo shows por todo o país, será a principal atração na noite do sábado de Carnaval no Parque de Eventos Jorge Adelino Zanini, em pleno centro de Imbituba.

A apresentação da semifinalista do The Voice em 2012 e campeão do show de calouros “Mulheres que Brilham” do Programa Raul Gil terá uma megaestrutura à altura de seu sucesso, jamais vista em eventos na Capital Nacional da Baleia Franca. A bela artista se apresenta em Imbituba em um palco 360 graus, num evento com camarotes coletivos e Panelinha (já com ingressos esgotados). Antes de a cantora goiana incendiar o público com seu vozerão, corpaço e muito estilo, a festa fica por conta do Grupo Fuzuê, Finazi e da dupla Alan & Felipe.

Os ingressos já estão disponíveis para venda online no Ticketmais.com.br, e presencial em Imbituba, na Ótica Nany e na Farmácia Paes Leme; em Laguna na Recanto Bike; em Capivari de Baixo na CapiFarma; e em Tubarão na A Musica, Bejo Lanches e Café Presidente, todos ainda com preços de 1º lote, com Pista a R$ 30,00, ingresso Vip por R$ 40,00 e Camarote Coletivo a R$ 50,00. Mais informações sobre camarotes podem ser obtidas pelo telefone (48) 998253830.

O showzaço de Lauana começa com “Cobaia”. E termina com “Cobaia”, lançada no fim de 2018, cria do compositor baiano Bruno Caliman. Ele é o autor de “Domingo de manhã” (Marcos & Belutti), “Camaro amarelo” (Munhoz & Mariano) e “Escreve aí” (Luan Santana).

A aclamada apresentação da cantora maranhense passa muito pela animada “bachata”, ritmo latino derivado do bolero. Quase todos os arranjos têm bongo e sanfona, mesmo para músicas que possam parecer distantes como “Quando a chuva passar”, famosa com Ivete Sangalo, ou “The Scientist”, do Coldplay. Sua música de letra mais séria, “Tem que respeitar”,  Lauana cantar versos como “Não é porque usa roupa curta / Que o coração dela é vulgar / Não é porque se entrega de primeira / Que ela não é pra casar”.

O setlist tem outros covers como “Meu Abrigo”, do Melim; “Bem pior que eu”, da Marília Mendonça; “Péssimo negócio”, do Dilsinho; “Milu”, do Gusttavo Lima; e “Ferida Curada”, de Zé Neto & Cristiano. Ela canta ainda “Is this love”. O show é completado por músicas próprias (como a nova “Viva-voz”) e clássicos de Chitãozinho & Xororó, Zezé & Luciano, João Paulo & Daniel e Leandro & Leonardo. Depois é a hora de uma sequência pop rock com um quê de Alok. Rolam trechos de “Start me up”, dos Rolling Stones, “Sweet Child o mine”, do Guns N’ Roses, “Hotel California”, do Eagles, e “Malandragem”, de Cássia Eller.