A semana começou com boas notícias para o setor educacional tubaronense. Foram entregues na manhã desta segunda-feira (27) as ordens de serviço para reforma e ampliação da escola municipal Cleto da Silva e do CEI Leonor Lima Brasil.

A empresa Temppus Engenharia de Criciúma foi a vencedora do processo licitatório e será a responsável pela execução das obras. Na escola Cleto da Silva, a obra tem o prazo de até 120 dias para ser concluída, já que lá serão construídas três salas, dois banheiros, um depósito, colocação de pisos e pintura de algumas áreas. No CEI Leonor Lima Brasil, o prazo é de 90 dias para construção de mais duas salas. A unidade vai atender neste ano 102 crianças e as novas salas comportarão 38 crianças. “No ano passado, uma nova sala já havia sido construída, mas devido à crescente demanda solicitamos a construção de mais duas”, explica a diretora do CEI Leonor Lima Brasil, Rosilene Machado Ferreira.

Os investimentos juntos somam em torno de R$ 232 mil, oriundos de recursos próprios da Fundação Municipal de Educação, que no ano passado lançou um pacote de obras no valor de R$1,5 milhão.

O diretor-presidente da Fundação Municipal de Educação, Maurício da Silva, lembra que todas essas obras contribuem para o fim da fila de vagas na educação Infantil. “Zeramos a fila, mas todos os dias nascem novas crianças, por isso fazemos um esforço diário para atender a demanda. Esses investimentos são importantes também para assegurar o conforto dos que já são atendidos em nossa rede”, reforça.

Em obras – Enquanto os alunos estão em férias, diversas unidades escolares estão sendo reformadas. A escola Presidente Juscelino Kubitschek passou por uma grande reforma. As escolas Arino Bressan, Francelino Mendes, Caminho Feliz e Recife também passam por manutenção. Além da infraestrutura, 80 climatizadores estão sendo instalados, bem como são montados os parques infantis nos Centros de Educação Infantil que não dispunham do equipamento. “É um período de muito trabalho, para que no retorno, alunos e servidores encontrem um local confortável para que possamos fazer um excelente ano letivo, com espaços adequados e ensino de qualidade”, afirma o diretor-presidente de FME, Maurício da Silva.