#Pracegover foto: na imagem há um gato
#Pracegover foto: na imagem há um gato

“Conhecido como a doença da pulga em gatos, o ‘micoplasma felino’ é transmitido pela picada de ectoparasitas, que transmitem bactérias. Assim como ocorre na doença do carrapato nos cães, uma vez inserida na corrente sanguínea pelas pulgas infetadas, a bactéria Mycoplasma haemofelis invade e se adere parcialmente à superfície dos glóbulos vermelhos do sangue, causando sua destruição e originando anemias”, explica a médica veterinária Yolanda Antunes, gerente nacional de produtos Pets da Syntec do Brasil.

De acordo com a Comissão de Animais de Companhia (COMAC), do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Saúde Animal (Sindan), entre 30% e 40% dos gatos já sofreram problemas causados por pulgas, sendo esse um dos maiores desafios enfrentados pelos tutores. “Apesar de menos comentados, os problemas com pulgas em gatos são muito comuns. É preciso atenção dos tutores tanto para prevenir a infestação de pulgas quanto para tratar as doenças com rapidez”, diz Yolanda.

No caso do micoplasma felino, os tutores devem prestar atenção a sintomas como fraqueza, perda de peso extrema, febre e mucosas amarelas. “Percebidos os sintomas é muito importante a procura imediata de um veterinário, pois esses problemas podem levar, por exemplo, à anemia e a outros incômodos que podem ser vitais para os gatos”, esclarece a veterinária da Syntec.

A melhor forma de evitar as doenças causadas pelas pulgas é a prevenção. Além da higiene dos gatos, também é preciso promover a limpeza e a higienização do ambiente frequentados pelos gatos, além de roupinhas e caminhas. Também é recomendado o uso de produtos antipulgas, como a novidade TecSpot, único do mercado em forma de pipeta que pode ser utilizado em gatos.

Composto por fipronil, um dos princípios ativos mais seguros e eficazes para prevenção, tratamento e controle de pulgas e carrapatos, TecSpot tem amplo espectro de ação e é normalmente utilizado e reconhecido pela classe veterinária. “O produto pode ser utilizado em filhotes e adultos a partir de 8 semanas de idade e auxilia na prevenção e controle de doenças infectocontagiosas, prevenindo, controlando e tratando ectoparasitoses em gatos de todas as raças e portes. Além disso, atua de forma completa nos pets e ambientes, prevenindo o risco de reinfestação”, finaliza Yolanda.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: Texto assessoria