#Pracegover Foto: na imagem há uma mulher sorrindo, uma cadeira e uma mesa
#Pracegover Foto: na imagem há uma mulher sorrindo, uma cadeira e uma mesa

O Dia Nacional do Doador de Sangue comemorado ontem, 25 de novembro, desde 2005, é uma data criada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para sensibilizar a população da importância da doação de sangue. Celebração que este ano precisou ser reforçada para manter os estoques de sangue abastecidos durante a pandemia. Os atuais níveis já apresentam uma redução de cerca de 50% nas doações no país. Cenário que também se reflete em Tubarão e região, com os limites baixos dos tipos “O” (positivo e negativo).

“Não podemos esquecer que o sangue é um tecido vivo, essencial a vida e não nada que o substitua. Doar é uma ação segura e simples, mesmo durante a disseminação da Covid-19. Basta seguir o distanciamento social e respeitar às medidas de higienização. Quanto aos hemocentros, eles são espaços seguros e estão preparados para atender. Todos os cuidados são redobrados para segurança, tanto do doador como para os que receberão o sangue, seja esta ação realizada nos hospitais ou até mesmo nos próprios locais de coleta”, reforça a hematologista, hemoterapeuta do Complexo Médico Provida, Dra. Maria Zélia Baldessar (CRM: 4523/ RQE: 1424).

Conforme o Ministério da Saúde os estoques de sangue anuais fornecem materiais tanto para pacientes internados em Unidades de Terapia Intensiva como para os procedimentos de cirurgias que demandam transfusões. Além disso, as bolsas também são direcionadas as ocorrências de acidentados, aos tratamentos de leucemia e outros tipos de cânceres. Em média, cada doador de sangue beneficia até quatro pessoas que precisam.

“Doar sangue é um gesto de humanidade. Fundamental para ajudar as pessoas a ter tratamento correto e a ter mais chances de cura. Importante lembrarmos que a doação precisa ocorrer o ano inteiro, indiferente a situação de saúde pública”, alerta Dr. Maria Zélia.

Quem pode doar nesta pandemia?

Todos que preencham os critérios definidos pela MS:
– Ter idade entre 18 e 69 anos, 11 meses e 29 dias;
– Doadores com idade de 16 e 17 anos de idade, são aceitos para doação mediante a presença e autorização formal dos pais e/ou responsável legal;
– O limite de idade para a primeira doação é de 60 anos;
– O candidato à doação deve estar em boas condições de saúde, sem feridas ou machucados no corpo;
– Pesar acima de 50 kg (com desconto de vestimentas);
-Ter repousado bem na noite antes da doação;
– Não ter usado bebidas alcoólicas nas últimas 12 horas.

Quem não pode doar nesta pandemia?

Não podem doar quem tem ou teve as seguintes doenças:
Hepatite após os 11 anos de idade; Lepra (Hanseníase); Hipertireoidismo e tireoidite de Hashimoto; Doença autoimune; Doença de Chagas; AIDS; Problemas cardíacos (necessita avaliação e declaração do seu cardiologista); Diabetes; Câncer; fez ou faz uso de algumas drogas ilícitas nos últimos 12 meses; mantém relações sexuais de risco; Gestantes ou mulheres que amamentam bebês com menos de 12 meses; Teve contato sexual com parceiro ocasional/eventual nos últimos 12 meses.

“Não podem doar os infectados pela Covid pelo período de 30 dias e somente após a completa recuperação; pessoas que tiveram contato nos últimos 30 dias com infectados, pessoas que permaneceram em isolamento voluntário ou indicado por equipe médica devido a sintomas de possível infecção, inaptas pelo período que durar o isolamento, de no mínimo 14 dias e se estiverem assintomáticos. As demais que estiverem saudáveis, devem fazer este gesto simples e tão valioso”, destaca a médica.

Locais de doação

Para doar sangue em Tubarão e região é preciso agendar um horário, pelo telefone: 3626-7383 ou Criciúma, nos números 3444-7414 e 3444-7410.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul