Existe receio de que serviços primordiais sejam reduzidos -  Foto:Prefeitura de Imbituba/Divulgação/Notisul
Existe receio de que serviços primordiais sejam reduzidos - Foto:Prefeitura de Imbituba/Divulgação/Notisul

Imbituba

Os prejuízos à saúde pública são a preocupação da Secretaria de Saúde da prefeitura de Imbituba devido à falta de repasse de recursos por parte do governo estadual. O déficit atinge a casa de R$ 1 milhão, de acordo com a secretária da pasta, Maria Martins dos Passos.

Na próxima terça-feira, em Florianópolis, um grupo pretende protestar, na sede do governo, para evitar que sejam reduzidas as consultas, o fornecimento de medicamentos e a carga-horária dos profissionais de saúde, entre outros problemas.

Assim, a secretaria manifestou preocupação com o futuro. “Nossa farmácia básica é uma das mais atingidas com tal situação. São cerca de R$ 152 mil em remédios que deixamos de receber. Faltam medicamentos essenciais para a população”, lamenta Maria.

Segundo a secretária, na última reunião com o governo, quando se buscou negociar o pagamento da dívida, a secretaria de Estado de Saúde afirmou não ter previsão para a regularização dos débitos. Por meio de nota, admitiu a existência de pendências com os municípios, mas não reconheceu os valores.

“Não podemos deixar déficit na administração e arcamos com uma dívida que não é nossa. A consequência é a redução do atendimento e de serviços primordiais”, alerta Maria Martins.