O bispo diocesano de Tubarão, dom João Francisco Salm, anunciou a suspensão das celebrações do Crisma e da Primeira Comunhão neste ano. Além disso, as atividades catequéticas também foram suspensas em 2020. As missas públicas também permanecem interrompidas. A decisão atinge 28 paróquias e 18 cidades da região de atuação da diocese, visa evitar os riscos de propagação do coronavírus.

A medida ocorre em relação às preocupações com os riscos de propagação da Covid-19. “De momento não nos é possível prever como as coisas ficam nos próximos meses. Por isso, se não temos condições de preparar para os sacramentos, vamos deixar para o próximo ano”, explica o padre André Corrêa Oenning, assessor Diocesano.

A ação determina, no entanto, que todas as igrejas devem permanecer abertas, ventiladas e higienizadas para orações individuais dos fiéis. “Na decisão colocamos que no segundo semestre vamos rever a agenda deste ano para decidirmos novas ações. Mas a catequese presencial dificilmente será possível ocorrer”, enfatiza.

Na Diocese da Cidade Azul a última celebração aberta ocorreu há pouco mais de dois meses. Com isso, os festejos da Semana Santa foram afetados pela decisão. As principais celebrações da Semana Santa, como Domingo de Ramos, Tríduo Pascal e Domingo de Páscoa, foram realizadas de forma virtual sem a presença dos fiéis.

Desde março, as paróquias transmitem as celebrações com a presença exclusiva do sacerdote e de mais um ou dois colaboradores pelas redes sociais. “É importante mantermos vivo o ânimo de nossos catequistas e, na medida de nossas possibilidades, oferecermos todo apoio a nossos catequizandos e suas famílias, mostrando-lhes a proximidade da Igreja neste momento que nos traz tanta angústia e questionamentos. Reiteramos que a família é o primeiro espaço para a educação da fé e a experiência de encontro com Deus. Cultivemos em nossos lares o hábito da oração comum, da reza do terço, da leitura e meditação da Palavra de Deus. No mais, colocamo-nos à disposição. Contamos com a compreensão e a colaboração de todos neste tempo de tantas incertezas”, observa o bispo diocesano.