Jailson Vieira
Tubarão

O estímulo à leitura desde a infância comprova que beneficia o desenvolvimento e a curiosidade das crianças e oferece a eles diversas vantagens, entre elas a do melhor aprendizado quando iniciarem a fase escolar. Nesta quarta-feira (18), é celebrado o Dia Nacional do Livro Infantil. A data foi instituída em 2002, é a mesma do nascimento de Monteiro Lobato, criador do Sítio do Pica-Pau Amarelo e de várias obras inesquecíveis.

A primeira história infantil do escritor foi ‘A Menina do Narizinho Arrebitado’, publicada em 1920. O livro fez tanto sucesso que tantos outros vieram na sequência, apresentando ao público ‘Dona Benta’, ‘Pedrinho’, ‘Emília’, ‘Visconde de Sabugosa’, ‘Tia Nastácia’, e tantos outros personagens.

Muitos anos se passaram desde o lançamento de A Menina do Narizinho Arrebitado, porém, a literatura infantil continua como destaque. O despertar para a leitura deve ser iniciado em casa pelos pais, ainda na infância, além de ter continuidade e apoio na escola. Conforme Gislaine Alves, mãe de Alice Alves, de 7 anos, com a menina não teve uma idade pré-estabelecida para iniciar a leitura. No entanto, ela acredita que quanto mais cedo esse contato começar, mais benefícios a sua filha terá.

Para muitos, ensinar os filhos desde cedo a gostar de ler é uma das heranças mais apaixonantes e úteis que os pais podem passar. Com o hábito da leitura, a criança se torna mais concentrada, com raciocínio mais rápido e independente. Além disso, o seu repertório é ampliado, no conhecimento de mundo e também de vocabulário.

Nos últimos anos, ações que incentivam a leitura têm sido desenvolvidas em várias escolas públicas e também particulares. A contação de histórias utilizando recursos visuais é um exemplo. O fato de algumas instituições promoverem momentos de leitura nas bibliotecas também é visto como benéfico.