#Pracegover foto: na imagem há quatro pessoas, chapéus de festa e enfeites
#Pracegover foto: na imagem há quatro pessoas, chapéus de festa e enfeites

O Dia Mundial da Adoção tem como data comemorativa 9 de novembro. A iniciativa foi fundada por Hank Fortner, para celebrar a família e promover a conscientização para o ato. Além disso, é uma oportunidade também de arrecadar fundos para apoiar famílias em procedimento de adoção. A iniciativa é um ato de amor incondicional, muito maior que uma aceitação ao outro.

A chegada do segundo filho da técnica em EAD do Senai de Tubarão, Caira de Abreu de Souza, 40 anos, e de seu esposo, Jackson Gomes de Souza, agente dos correios, 45 anos, ocorreu quando a criança já tinha 6 anos. “Encontramos nosso filho por meio do sistema de Busca Ativa aqui de Santa Catarina. Desde que ficamos habilitados sempre dava uma ‘olhadinha’, já que nosso perfil era para uma criança de até 8 anos e meio. No portal ficam algumas informações, fotos e vídeos das crianças aptas para adoção no Estado mas que não existem pretendentes para o seu perfil, normalmente criança maiores, grupo de irmãos e crianças com alguma deficiência ou condição atípica como no caso do nosso filho o Transtorno do Espectro Autista (TEA). Apenas pretendentes já habilitados e cadastrados podem acessar por meio de login e senha”, explica.

Ela conta que ao ver o menino por foto o casal ficou encantado. Eles solicitaram algumas informações por meio do site, mas não obtiveram retorno logo e  as poucas informações não constavam mais no sistema. “Pensei ter sido encaminhado a alguma outra família. Mas após dois meses, quando menos esperávamos o nosso telefone tocou. Esse dia foi ‘louco’ e emocionante. O coração disparou conversando com a assistente social, o corpo tremia, agitação total, estávamos os três dentro do carro indo viajar e nesse dia descobrimos que ele estava bem pertinho de nós! O nosso filho podia ser de todo o Estado, mas não, ele estava aqui do lado, coisas do destino, da vida, de Deus”, lembra.

Caira conta que foi um final de semana inesquecível e que todos de sua família se divertiram e ficaram radiantes com a possibilidade de conhecer a criança. Ela e o marido conversaram e decidiram que queriam mais informações sobre o menino. Em alguns dias, ocorreu uma reunião com a equipe técnica do acolhimento para que todas as informações fossem repassadas. “No final de semana seguinte, marcamos o nosso primeiro encontro com o nosso filho, foi emocionante”, detalha.

A moradora do bairro Santo André, em Capivari de Baixo, destaca que a ansiedade estava muito grande, as dúvidas e o medo também. O pensamento de como ele reagiria ao casal e ao irmão tomavam conta de Caira e Jackson. “Será que ele iria brincar? Será que ficará com vergonha? Medo? Simplesmente não irá conversar conosco? Nos surpreendemos com uma criança doce, carinhosa, de olhos curiosos e de sorriso fácil, que adora brincar e adorou o balanço. Já no primeiro encontro nos abraçou, sorriu, conversou, sem nenhuma resistência, sem medos e tranquilamente. Ele estava ali pronto para receber e dar amor. Também estávamos prontos para dar e receber esse mesmo amor, amor de família, de pais e filho!”, emociona-se.

O encontro que antes gerou ansiedade, dúvidas, medos e incertezas, terminou com tranquilidade, coragem, amor e  certeza.  A certeza que eles precisavam para seguir adiante confiando na vida, no universo e em Deus.  João Vitor Abreu de Souza, 14 anos, filho biológico e  mais velho do casal, participou de todo o processo de habilitação e todo o ano de espera. Caira expõe que ela e o esposo sempre conversavam com o adolescente sobre a adoção e a chegada de um irmão ou uma irmã. Quando o telefone tocou ele viu as fotos do irmão e ficou ansioso quando foram para o primeiro encontro.

Depois do primeiro contato com o menino, eles  seguiram com o processo de aproximação e  após um mês e meio, o filho mais novo do casal chegou para ficar. “Como sabíamos que o Enzo era o nosso filho? Acredito que não sabíamos, mas que era pra ser e de coração aberto estamos construindo essa relação  dia a dia. Se faríamos de novo? Com certeza! Tudo da mesma forma. Agora temos uma vida com a família completa, com a ‘pecinha’ que faltava. Há muitos desafios, mas com muito amor sempre envolvido”, comemora.

Eles são os pais de Enzo Gabriel há pouco mais de 5 meses. Os dois sempre conversavam sobre adoção como uma opção para aumentar a família, até que em maio de 2019 iniciaram o processo de habilitação para adoção e no ano passado, na véspera do dia das mães, eles receberam a notícia da gravidez afetiva pela Adoção. Após um ano, às vésperas do mês das mães, o casal conheceu o filho mais jovem. O processo foi  de um ano de habilitação e um ano na fila para adoção.

Caira auxilia no grupo de apoio à adoção que existe em Tubarão, o FILHOS PARA SEMPRE. Um  Grupo de Estudos e Apoio à Adoção de Tubarão. As reuniões mensais ocorrem  na segunda semana do mês. O encontro é marcado sempre na segunda-feira.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul