Tubarão

Inicialmente denominada como “Dia da Cooperação” e, posteriormente, chamada de “Dia do Cooperativismo”, atualmente a data é conhecida como “Dia Internacional do Cooperativismo”.

Embora a data oficial tenha sido criada em 1994, a Aliança Cooperativa Internacional (ACI) celebrou pela primeira vez o Dia Internacional em 1923, instituindo a data com o objetivo de comemorar, no primeiro sábado de julho de cada ano, a confraternização de todos os povos ligados ao cooperativismo. Este ano, a data é comemorada no dia 7 de Julho. 

No Brasil, por volta de 1610, começou a construção de um estado cooperativo, por meio das mãos dos jesuítas. Por mais de 150 anos, esse modelo deu exemplo de sociedade solidária, fundamentada no trabalho coletivo, onde o bem-estar do indivíduo e da família se sobrepunha ao interesse econômico da produção. Entretanto, foi apenas em 1847 que o movimento cooperativista surgiu no Brasil, nos sertões do Paraná, seguindo modelos europeus. As cooperativas de crédito, esfaceladas desde meados dos anos 60 e durante a década de 70, buscaram novamente seu espaço. Em 1902, no Rio Grande do Sul, um padre jesuíta implantou um modelo de cooperativismo baseado em experiências alemãs junto a pequenas comunidades rurais e vilas. No final dos anos 20, um segundo modelo de cooperativa de crédito chegava ao Brasil.

No fim da década de 50, um terceiro – e último – modelo de cooperativa chegou ao país, por meio de Maria Thereza Rosália Teixeira Mendes, a Terezita, como era conhecida. Ela foi a responsável pela organização e a constituição de dezenas de cooperativas de crédito mútuo em todo Brasil. Atualmente, existem cerca de 5,7 mil cooperativas e seis milhões de cooperados. A partir dessas cooperativas surgiram mais de 168 mil empregos diretos, distribuídos entre agropecuária, saúde, trabalho, educação, habitação, crédito, consumo, serviços, eletrificação e telecomunicação. O modelo do cooperativismo de crédito soma mais de mil unidades e mais de um milhão de associados.