Tatiana Dornelles
Tubarão

Diz o dito popular que avó é ‘mãe com açúcar’… E não há como contestar, afinal, a vovó é aquela que enche de mimos os seus netinhos, os espera com bolos e doces e muito, muito carinho mesmo! Neste sábado, comemora-se o Dia da Vovó e todos os olhares devem voltar-se a ela, que tanto se doa aos netos. Muito mais do que presentes, a retribuição do amor é bem-vinda nesta data.

A aposentada Maria Ambrosina Genovez da Silva, 76 anos, de Tubarão, sempre foi bastante dedicada aos dez netos e os levava para fazer piqueniques, à praia e até jogava vôlei com os ‘pimpolhos’. “Dizem que vovó é aquela velhinha que vive fazendo crochê, tricô. Nunca fui assim. Levava os meus netos para fazer piqueniques, ou de carro ou de ônibus, para viajar de trem, à praia. Sempre acompanhei o crescimento deles. Hoje, cresceram e cada um foi para um lado”, conta.

Entretanto, mesmo com os rumos que cada neto tomou, as visitas na casa da avó continuam. Já no Natal, o momento é de unir a família inteira. “Todos vêm no Natal. É muito bom! E nenhum neto sai daqui sem uma lembrancinha”, admite Maria Ambrosina.

Mas o amor de vovó está ainda maior: ela já tem duas bisnetas, uma de 4 anos e outra de um mês. “Nunca pensei que fosse chegar a ser bisavó. Espero que Deus me dê força para acompanhar a vida dos mais novos. É uma alegria quando os filhos, netos e bisnetas vêm me visitar. Sou uma avó coruja e isso é gratificante”, ressalta a aposentada.

Maria Ambrosina foi avó pela primeira vez aos 38 anos e sempre ajudou os filhos (ela tem seis) a cuidar dos pequenos. “Quando os filhos precisavam trabalhar, eu os ajudava ficando com os netos. Agora, já que não tenho mais netinhos para sair, pois cada um foi para um lado (trabalhar), aproveito para ir aos bingos e encontros com amigas da minha idade. Não consigo ficar parada!”, acrescenta.