Tubarão

Neste sábado, Santa Catarina assim terá o dia D de vacinação contra a gripe A H1N1 no nas unidades de saúde dos municípios. Nas cidades da Amurel, os postos de saúde ficarão abertos para atender o público-alvo. Objetivo é estimular as pessoas a se imunizarem contra a doença. Desde o começo da campanha, no último dia 10, apenas 17,83% do público tomaram a dose no Estado. O prazo encerra no próximo dia 31.

No Estado a meta é vacinar 90% dos grupos considerados mais vulneráveis para complicação da gripe, que representa 1.976.914 pessoas, no entanto, esse número ainda segue em baixa. De acordo com a Diretoria de Vigilância Epidemiológica do Estado (Dive-SC), a vacina é uma das formas mais eficazes para evitar casos graves e mortes provocadas pela gripe.

Para a campanha de vacinação de 2019, o estado recebeu 2.156.800 doses da vacina trivalente, que protege contra o vírus H1N1, H3N2 e vírus do tipo B. Crianças vacinadas pela primeira vez vão receber duas doses, com intervalo mínimo de 30 dias entre elas.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe contempla os idosos ( maior 60 anos), crianças de até 5 anos (5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (mulheres que estão nos primeiros 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde (independente do grau de complexidade do setor – rede pública e privada), povos indígenas, professores de escolas públicas e privadas (com declaração do trabalho), pessoas com condições especiais (doenças crônicas conforme lista do Ministério da Saúde em conjunto com sociedades científicas, comorbidades, transplantados, entre outras situações), além de funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade.Policiais civis e militares, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas também foram incluídos como público da campanha.

Os grupos prioritários são definidos pelo Ministério da Saúde e seguem recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). A vacina da Campanha Nacional protege contra os três principais vírus que circulam atualmente. Como os vírus sofrem mutação, é preciso que as pessoas inseridas nos grupos prioritários de vacinação recebam a vacina todo ano. Quem tomou a vacina de 2018 (mesmo que tenha sido neste ano) deve tomar a vacina de 2019 fornecida durante a campanha.