#ParaTodosVerem Na foto, um técnico do Estado registra o ponto onde houve o deslocamento de uma placa rochosa, na Serra do Corvo Branco, em Grão-Pará
Nesta segunda-feira (30), técnicos da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (SIE) realizaram uma avaliação investigativa de novos pontos de risco para a continuidade do desvio de traçado onde houve perda da pista - Foto: SIE | Divulgação

Equipes coordenadas pela Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade de Santa Catarina retomaram os trabalhos na Serra do Corvo Branco nesta segunda-feira (30). Com a chuva deste domingo (28), um novo desmoronamento de terras e rochas ocorreu. Nas partes onde a estrada já estava aberta, o serviço feito na semana passada foi perdido. Em alguns trecho pavimentados, o asfalto apresenta afundamento devido a erosão do solo. Conforme o Estado, a placa rochosa que quebrou a caiu sobre a pista ocorreu em um ponto que já estava mapeado como de risco e que passaria por testes de pulsão nesta semana. Conforme o Notisul publica repetidamente há semanas, a Serra do Corvo Branco apresenta locais com alta instabilidade e novos deslizamentos e descolamento de rochas podem ocorrer, em especial nos próximos dias, cuja previsão é de mais chuva em toda a região.

Vale destacar que, ainda que o trecho entre Urubici e o corte tenha sido limpo, a Serra está bloqueada, inclusive para pedestres. “Liberar o tráfego neste momento seria uma imprudência sem tamanho. Estamos realizando os trabalhos de recuperação de forma emergencial. Temos total consciência do tamanho do problema e do impacto que este bloqueio causa na logística de quem mora na região. Ainda assim, nada é mais importante do que a preservação da vida”, destaca o Secretário de Estado da Infraestrutura e Mobilidade, tenente-coronel Thiago Vieira. O secretário adjunto da pasta, engenheiro Alexandre Martins, acompanha os trabalhos de recuperação da SC-370, na Serra do Corvo Branco.

Ele explica que a prioridade, nesta segunda-feira (30), foi a avaliação investigativa de novos pontos de risco e a continuidade do desvio de traçado onde houve perda da pista. “No desvio utilizamos o desmonte a frio de rocha, uma técnica eficiente e duradoura e que requer um extremo cuidado e atenção das equipes. Estamos tomando todas as medidas de engenharia possíveis para a recuperação deste trecho da rodovia. São emergenciais, mas não instantâneas. Não há solução mágica para problemas complexos como os que estamos enfrentando, infelizmente”, frisa Alexandre.

Interditação
A Serra do Corvo Branco foi totalmente interditada no dia 4 de maio por conta das chuvas que castigaram toda a região no começo do mês. Houveram diversos deslizamentos de terras e pedras, além de perda estrutural de partes da pista no trecho que ainda é de chão batido. Quatro dessas quedas de barreiras foram bastante expressivas a ponto de nem mesmo os técnicos conseguirem vistoriar o lugar. O helicóptero Águia, da Polícia Militar, fez um m sobrevoo no dia 5 de maio para verificar a situação e constatou que não havia sequer como iniciar um trabalho emergencial de limpeza. Por terra, a primeira incursão pode ser feita apenas no dia 12 de maio e boa parte do trajeto precisou ser percorrido a pé, pois não havia como chegar com carros.

#ParaTodosVerem Na foto, uma placa rochosa que descolou e caiu sobre a pista da Serra do Corvo Branco, em Grão-Pará
Existem locais com alta instabilidade e isso pode ocasionar novos deslizamentos em toda a região da Serra do Corvo Branco. Não por acaso, isso foi exatamente o que ocorreu neste fim de semana – Foto: Divulgação

No dia 20 deste maio, a Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade (SIE) liberou o trecho entre Urubici e o corte, cujas pistas foram literalmente soterradas no início do mês. Vale destacar dois pontos: o primeiro é que do corte para baixo, a Serra segue interditada, inclusive para pedestres e ciclistas. O segundo é o alerta de perigo que a Defesa Civil do Estado emite desde o dia 12 de maio, quando a primeira vistoria foi realizada: existem locais com alta instabilidade e isso pode ocasionar novos deslizamentos em toda a região da serra. Não por acaso, isso foi exatamente o que ocorreu neste fim de semana.

Comunidade fará manifestação e cobra maior agilidade do Estado
Na semana que a Serra do Corvo Branco completa um mês de interdição, a comunidade de Grão-Pará e Urubici fará uma manifestação para pedir maior agilidade do Estado na liberação completa deste trecho da SC-370. O protesto ocorrerá nesta quarta-feira (1), a partir das 9 horas. O ponto de partida será o Distrito do Aiurê, em Grão-Pará, e o grupo percorrerá todo o trajeto, até Urubici, para mostrar a situação da estrada. A comunidade, em especial quem mora na região e utilizava a rodovia todos os dias, reclama da demora no Estado em desinterditar totalmente a estrada.

“A Serra está abandonada e o trabalho da na semana passada foi mal feito, para dizer o mínimo. O Estado quer muito projeto, muita coisa, mas não faz nada prático”, reclama o comerciante Vilto Miguel da Silva. Ele mora no Aiurê e tem negócios em Urubici. Mais do que importante para o turismo, a estrada é vital para o agronegócio, pois é pela Serra do Corvo Branco que passam as produções de alimentos, ração e leite que são produzidos tanto nas cidades do Vale do Braço do Norte quando nos municípios serranos. “O que queremos é maior celeridade do Estado e também a contratação de uma empresa que preste um bom serviço, pois o que foi feito até agora a chuva já levou embora”, atenta Vilto.

Texto: Zahyra Mattar | Notisul

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul