Começa neste domingo a disputa na Marquês de Sapucaí, com a apresentação de sete escolas de samba do Grupo Especial. Embora tenham ficado nas duas últimas colocações na apuração de 2018, a Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) decidiu não rebaixar a Acadêmicos de Grande Rio e a Império Serrano. 

E a responsável por abrir os desfiles é justamente a Império Serrano, que escolheu a música “O que é? O que é?”, do cantor e compositor Gonzaguinha, como enredo e terá como hino a própria canção, do álbum “Caminhos do Coração” (1982). O carnavalesco Paulo Menezes comandará o desfile da verde e branco. Eles estava na Vila Isabel e voltou à escola depois de 13 anos. 

Na sequência vem a Viradouro, campeã da Série A no ano passado. De volta ao Grupo Especial depois de três anos, a agremiação aposta no retorno do carnavalesco Paulo Barros com o enredo “Viraviradouro”, que promete um misto de feitiço e magia. Um dos destaques do desfile será o final: a escola levará para a avenida uma Fênix abrindo as asas e renascendo das cinzas.

Terceira a desfilar, a Acadêmicos do Grande Rio, que foi salva do rebaixamento por uma “virada de mesa” da Liesa, resolveu se inspirar no episódio para planejar o desfile deste ano. O enredo “Quem nunca… Que atire a primeira pedra!” pretende mostrar que muitos já cometeram algum deslize reprovável. No enredo, a escola faz sua mea-culpa, pede perdão e clama por uma sociedade mais ética, discutindo educação, convivência e o jeitinho brasileiro durante sua passagem pela Marquês de Sapucaí.

Já a Acadêmicos de Salgueiro fará uma homenagem ao seu patrono espiritual: Xangô, o Orixá da Justiça. Idealizado pela carnavalesco Alex de Souza, o enredo vai contar a trajetória da divindade desde o continente africano até o Brasil. A atriz Viviane Araújo desfilará pelo 12º ano consecutivo como rainha de bateria da escola.

Atual campeã da elite, a Beija-Flor vai brigar por mais um título comemorando os 70 anos da Marquês de Sapucaí. O enredo “Quem não viu vai ver… As fábulas do Beija-flor” vai contar a história de sete décadas de folia, usando a memória da escola. O destaque ficará por conta dos ratos e urubus fictícios apresentados em uma alegoria durante o desfile de 1989, quando a agremiação apresentou “Ratos e urubus, larguem minha fantasia”, criado pelo carnavalesco Joãosinho Trinta.

A Imperatriz Leopoldinense contará a história do dinheiro, abordando desde a invenção da moeda até os dias atuais. Embalada pela marchinha “Me dá um dinheiro aí?” como referência, a agremiação vai destacar a relação do homem com a moeda, e ainda promete fazer uma crítica humorada sobre ambição e política.

Para encerrar o primeiro dia de apresentações, a Unidos da Tijuca colocará na avenida o enredo “Cada macaco no seu galho. Ó, meu pai, me dê o pão que eu não morro de fome”. Através da visão do pavão, símbolo da escola, o desfile vai passar uma mensagem de esperança em dias melhores por meio da história e simbologia do pão. 

Ordem dos desfiles:

21h15min – Império Serrano

22h20min – Viradouro

23h25min – Grande Rio

0h30min – Salgueiro

01h35min – Beija-Flor

02h40min – Imperatriz Leopoldinense

03h45min – Unidos da Tijuca