Deschamps: investimentos para melhorar o ensino médio estão previstos  -  Foto:Divulgação/Notisul
Deschamps: investimentos para melhorar o ensino médio estão previstos - Foto:Divulgação/Notisul

Tubarão

Divulgado na última quinta-feira, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) provocará mudanças na educação em Santa Catarina. As medidas já são estudadas pela Secretaria de Estado  da Educação. O objetivo é reduzir a reprovação e a evasão escolar no ensino médio, que teve o pior desempenho registrado comparado com as séries iniciais e finais do ensino fundamental. 

De acordo com o secretário Eduardo Deschamps, a ampliação do tempo integral, a flexibilização das aulas e até a possibilidade de um ensino médio profissionalizante estão em pauta. A nota do ensino médio em Santa Catarina caiu de 4 para 3,8, segundo os dados divulgados pelo Ministério da Educação. A meta era chegar a 4,3. “Não conseguimos recuperar esses alunos de maneira adequada”, reconheceu o secretário, referindo-se aos estudantes das turmas de correção de fluxo que eram aprovados automaticamente no ensino fundamental em anos anteriores e chegaram ao ensino médio sem condições de acompanhar os estudos.

Deschamps, entretanto, classificou o problema  do fraco desempenho no Ideb como algo mais geral e que atinge também a rede particular que, “desde 2009 tem caído” nos índices, e em outros estados do país.

Estrutura ruim é uma das causas
A desvalorização dos professores, condições ruins de trabalho e de estrutura são alguns motivos apontados pela coordenadora do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte), em Tubarão, Tânia Fogaça, como análise do baixo desempenho do ensino médio de Santa Catarina no Ideb. 
“Esse resultado é o reflexo do que nós sempre estamos denunciando. As escolas não conseguem desenvolver seu projeto pedagógico devido à alta rotatividade de professores por falta de concurso público e, por fim, a constante ameaça dos gestores da educação no estado em reduzir o número de profissionais lotando as salas de aula, impedindo um bom atendimento aos alunos com dificuldades de aprendizagem. Em muitos casos resulta na evasão escolar”, critica. 

Entenda a nota do Ideb
O Ideb é calculado a partir de dois componentes: taxa de rendimento escolar (aprovação) e médias de desempenho nos exames padronizados aplicados pelo Inep. Os índices de aprovação são obtidos a partir do Censo Escolar, realizado anualmente pelo Inep.  As médias de desempenho utilizadas são as da Prova Brasil (para Idebs de escolas e municípios) e do Saeb (no caso dos Idebs dos estados e nacional). Na abrangência da Amurel, a maior nota foi registrada na rede municipal de Garopaba, com Ideb de 6,9.