#Pracegover Na foto, célula do coronavírus
#Pracegover Na foto, célula do coronavírus

O mundo acompanha recordes de casos diários de Covid-19 com o auge da variante ômicron, considerada mais transmissível que a Delta, dois anos após a descoberta dos primeiros casos da doença. Exatamente no dia 31 de dezembro de 2019 a China comunicava à OMS (Organização Mundial da Saúde) um surto de pneumonia viral de origem desconhecida em que já haviam adoecido 44 pessoas na cidade de Wuhan, na província de Hubei, no mês de dezembro.

Os primeiros doentes tinham alguma ligação com o mercado de frutos do mar e animais vivos em Huanan. Inicialmente, autoridades locais informaram que não havia indícios de transmissão da doença entre humanos.

A notícia reacendeu o alerta de uma epidemia conhecida na Ásia: a de SARS (síndrome respiratória aguda grave), causada pelo coronavírus SARS-CoV entre 2002 e 2003, que infectou cerca de 8.000 pessoas e deixou 774 mortos. O que estava por vir, todavia, era algo infinitamente maior do que a SARS.

Em 11 de janeiro, morre a primeira vítima da pneumonia misteriosa, um homem de 61 anos que estava internado em um hospital de Wuhan. No dia seguinte, cientistas chineses publicaram a sequência genética do vírus causador da doença, elucidando as primeiras dúvidas acerca da infecção. Descobre-se que é um betacoronavírus, muito semelhante ao causador da SARS. O patógeno é nomeado como SARS-CoV-2.

Tratava-se de um vírus de transmissão pela via respiratória, que causava febre, dificuldade para respirar e, em alguns indivíduos, um quadro de pneumonia – outros sintomas foram identificados nas semanas seguintes, como perda do paladar e olfato.

Pesquisadores da Universidade Agrícola do Sul da China, em Guangzhou, chegaram a divulgar que o pangolim era o animal que seria o hospedeiro intermediário do vírus (originalmente encontrado em morcegos). Todavia, até hoje não se sabe com exatidão a origem do SARS-CoV-2.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: Correio do Povo